Tanzânia: "Ninguém pode parar o evangelho", afirma evangelista preso

Tanzânia: "Ninguém pode parar o evangelho", afirma evangelista preso

Atualizado: Quinta-feira, 4 Fevereiro de 2010 as 12

Dois evangelistas cristãos em Dar es Salaam, Tanzânia, foram presos depois que muçulmanos os convidaram para discutir religião. No entanto, eles chamaram agentes de segurança que acusaram os evangelistas de pregar ilegalmente.

Os evangelistas anglicanos Eleutery Kobelo e Cecil Simbaulanga, soltos sob fiança, disseram que cristãos e muçulmanos organizaram o debate inter-religioso em um local neutro, para outubro de 2009, em Kariakoo, região de Dar es Salaam.

Eleutery disse que ninguém apareceu no debate, até que os muçulmanos chegaram com agentes de segurança do governo, que os acusaram de “usar sermões religiosos para incitar a desconfiança entre muçulmanos e cristãos”.

''Essa intimidação constante, em que os muçulmanos têm o apoio da polícia, está nos preocupando''.

Eleutery e Cecil ficaram presos por sete dias antes de ser liberados sob fiança no dia 27 de outubro. Outras acusações de reuniões ilegais foram feitas contra os dois cristãos, mas não está claro se as primeiras acusações ainda estão valendo.

Os cristãos Joseph Lima, Shadrack Mwasonya, Festo Mumba, Erastus Mwarabu, Joseph Mmari, John Chacha, and Daniel Mwakemwa também foram presos.

Eleutery disse que ficou muito preocupado com a acusação de ajuntamento ilegal, pois contradiz seu direito como cidadão. A Constituição da Tanzânia garante a liberdade de religião e de realizar ajuntamentos.

Muitos outros casos contra cristãos estão esperando julgamento no país; alguns, desde 2007.

''A mensagem que queremos passar é que precisamos de oração e ajuda em favor de nossas vidas''.

Cecil conta que os muçulmanos estão recorrendo à polícia para perseguir os cristãos porque eles têm poder político. O presidente da Tanzânia, Jakaya Mrisho Kikwete é muçulmano.

''Estamos sendo muito bem-sucedidos com nosso ministério aos muçulmanos, com milhares recebendo Cristo. Por isso, os muçulmanos querem impedir o movimento, mas ninguém pode parar o evangelho''.

veja também