Transformar e ser transformado

Transformar e ser transformado

Atualizado: Quarta-feira, 18 Agosto de 2010 as 3:37

"Temos que descer mais, como Jesus desceu", diz a pastora Siméa Meldrum, da Igreja Anglicana Água Viva, em Olinda (PE), no devocional desta manhã no V Encontro RENAS. Lendo a carta de Filipenses 2.5-11, ela disse: "Jesus não pensou em si mesmo; pensou nos outros. Usou seus privilégios para abençoar os outros. Estamos tão confortáveis em nossa igreja que não enxergamos o que esta acontecendo no mundo. "Talvez tenhamos abandonado a cruz de Cristo, e nos apegado apenas à cruz do nosso trabalho"..

Siméa também lembrou seu chamado pessoal para trabalhar com os moradores do lixão de Olinda. Ela conta que foi seu filho, ainda criança, que lhe chamou a atenção para uma identificação com o chamado de Jesus. "Depois de visitar pela primeira vez o lixão, meu filho me disse que eu estava cheirando mau. Foi então que percebi que foi isso que Jesus fez: despiu-se de sua glória e encarnou-se no mundo. Fiquei feliz com isso, o que me fez obedecer o chamado de Deus para servir aos moradores daquele lugar. Deus me falou que a terra onde eu estava pisando – um lixão - era terra santa".

Siméa lembrou que quando assumimos a ordem de transformar o mundo, quase sempre nosso ser também é transformado. "Precisamos da transformação de Jesus Cristo em nós para que sejamos instrumentos dele. Como entrar nos guetos se não queremos sair da nossa zona de conforto?". Segundo ela, quatro elementos são fundamentais para esta transformação em quem pretende transformar a sociedade: a prática da oração, disposição para obedecer a Palavra de Deus, o hábito da contemplação em torno da obra de Deus e a expectativa da glorificação agora e no futuro.

A pastora ressaltou que sua igreja faz teologia que nasce a partir da prática da Palavra de Deus. É esta atitude que ajuda sua comunidade religiosa a enfrentar uma realidade tão adversa. Segundo ela, quatro jovens morrem por semana em seu bairro.

Por: Lissânder Dias

veja também