Um dia de esperança na Nigéria

Um dia de esperança na Nigéria

Atualizado: Sexta-feira, 22 Outubro de 2010 as 10:04

A Nigéria é considerado o país mais populoso da África, com mais de 148 milhões de habitantes. Embora a economia do país esteja em constante crescimento, a miséria e a discriminação contra as mulheres são fatores que castigam grande parte da população

  Em entrevista coletiva a agências internacionais, o  secretário-executivo da Agência Nacional para a Proibição do Tráfico de Pessoas (NAPTIP), Simon Chuzi Egede afirmou que entre 20 mil e 40 mil mulheres e meninas da Nigéria já foram levadas ilegalmente a Mali, país vizinho, onde muitas delas terminam em prostíbulos. Além disso, o país nigeriano também faz parte da lista daqueles que sustentam a pena de morte por apedrejamento para crimes de infidelidade conjugal feminina.

  Diante dessa realidade, a Igreja Universal do Reino de Deus, há um ano, desenvolve no país um trabalho social importante de ajuda humanitária por meio do grupo “Mulheres em Ação”. A equipe é formada por esposas de pastores, obreiros e alguns membros da Igreja, que se voluntariaram para ajudar a comunidade, visando socorrer os menos favorecidos e as mulheres vítimas de discriminação.

  Para a responsável do trabalho, Marijane Reis, o apoio oferecido pelo grupo traz de volta a esperança que muitos haviam perdido por causa dos problemas enfrentados. “Nosso trabalho visa levar esperança e acima de tudo dignidade às pessoas. Além de estarmos ajudando as instituições e as comunidades, temos também como objetivo mostrar para as mulheres nigerianas que tudo é possível, quando se tem força de vontade”, comenta.

  Recentemente, o grupo se uniu à Associação Beneficente Cristã (ABC), órgão responsável por ações sociais no país, para visitarem a instituição “so-said intl”, que cuida de pessoas abandonadas, com necessidades mentais, crianças, jovens e idosos. Eles são recolhidos da rua e levados para um centro de ajuda, onde recebem abrigo, alimento e cuidados médicos.

  Para arrecadar fundos para a compra de donativos, o pastor responsável pelo trabalho evangelístico da Igreja Universal no país, Luciano Reis, realizou uma campanha junto aos membros da igreja. Durante as reuniões, ele explicou para o povo a importância da doação e o quanto o ato faz bem ao coração do ser humano “Abraçamos a causa, começamos a fazer bijuterias e artesanatos para vender em um bazar, para comprarmos alimentos, brinquedos e roupas para os bebês”, afirma.

  No dia da entrega das doações, as voluntárias do "Mulheres em Ação" distribuíram os alimentos com muito carinho e atenção. O pastor Luciano conta que foi um momento muito especial para todos que estavam participando. “Fomos recebidos com músicas e danças apresentadas pelas crianças (foto acima). Abençoamos aquele lugar com orações para os doentes e necessitados. E agradecemos a todos por esse gesto solidário”, relata feliz.

  Uma nova mulher   O grupo "Mulheres em Ação" e a Igreja Universal ajudam mulheres que precisam resgatar a auto-estima e os valores familiares. Blanca Delgado é um exemplo deste importante trabalho. Desde criança, ela conta que sofreu com as brigas e agressões constantes dos pais dentro de casa. "Eu tinha medo do meu pai e sentia raiva da minha mãe", lembra.

  Aos 12 anos começou a sair com más companhias e gangues. Neste período a mãe de Blanca assistiu a uma programação da Igreja e começou a participar das reuniões junto com a filha que se sentia obrigada a acompanhá-la. Dias depois ela descobriu que tinha epilepsia, e foi a partir dessa notícia que ela resolveu se dedicar a conhecer a Palavra de Deus.

  Fazendo as correntes de oração ela foi curada da doença. Outra prova de sua cura é que no último ano ela se casou com George, um jovem que ela conheceu na Igreja. “O péssimo exemplo que tive com meu pai me fez crer que todos os homens eram iguais. Eu os odiava. Mas, agora, eu tenho outra opinião sobre eles. Conhecer Deus foi a melhor coisa que poderia me acontecer", finaliza.

veja também