Um Panorama da Ação Social Evangélica

Um Panorama da Ação Social Evangélica

Atualizado: Segunda-feira, 15 Fevereiro de 2010 as 12

No title As iniciativas sociais de evangélicos representam uma contribuição considerável para a sociedade brasileira. Por conta de nossa fragmentação e da falta de intercâmbio entre os evangélicos, estas iniciativas não são articuladas e sequer conhecidas.

Há organizações evangélicas cuja eficiência é reconhecida por especialistas. Há projetos com um impacto tremendo, como o Instituto Coração de Estudante, em Fortaleza, que em menos de 8 anos favoreceu o ingresso de mais de 30 estudantes pobres na Universidade Federal. Há também as grandes organizações que participam de campanhas nacionais de defesa de direitos e integram redes que influenciam as políticas públicas. Podemos citar igualmente iniciativas históricas, como o Instituto Central do Povo no Rio, que teve seu certificado de filantropia assinado pelo presidente Getúlio Vargas e a ACEV (Ação Evangélica), uma igreja que vive a missão integral no sertão da Paraíba há mais de 7 décadas.

E há ainda a importante contribuição de um exército de mulheres e homens evangélicos anônimos que visitam hospitais, presídios e moradores de rua, e que ocupam espaços nos conselhos municipais (da Criança e do Adolescente, da Saúde, da Educação, do Meio Ambiente etc) e nos conselhos tutelares.

É incrível a variedade de públicos, de ênfases de trabalho e de programas, nas ações desenvolvidas por organizações evangélicas. Vão desde o atendimento de crianças em creches à defesa de direitos, passando pela reabilitação de dependentes químicos (estima-se que são mais de 80 comunidades terapêuticas), centros produtivos, ações contra o racismo, educação ambiental e agroecologia, comércio solidário, apoio a viúvas e a idosos. Precisamos atualizar a lista de atitudes que servirão de parâmetros para identificar os que são filhos de Deus. Vestir o nu, abrigar órfãos, viúvas e estrangeiros, alimentar o faminto e dar a água ao sedento, são ações muito mais complexas nos nossos dias!

Temos uma visão otimista a respeito do que os evangélicos estão fazendo. Mas não somos simplistas: há muitas coisas que precisam ser corrigidas, há necessidade de capacitação e profissionalização e algumas iniciativas têm pouco impacto. Além do que muito mais poderia ser feito tendo em vista o número de evangélicos no país. RENAS pretende contribuir para isso.

Na essência do evangelho encontram-se razões de sobra para que o cristão se envolva no serviço ao próximo. Há bons livros sobre o assunto, e esta não é uma reflexão recente. A igreja primitiva pode servir de modelo. A própria caminhada da reflexão missiológica na América Latina, com os CLADE´s, traz constantemente esta relação entre evangelismo e reforma social. Atualmente há um despertamento para este assunto: multiplicam-se as publicações sobre o assunto, os eventos, as ONG's cristãs, os artigos e teses produzidos em seminários e universidades relacionados à ação social (vários deles, sob a denominação missão integral).

Muitos textos bíblicos poderiam ser citados para exemplificar a relação entre cristianismo e ação social. Entre eles, este: "Foi o próprio Deus quem fez de nós o que somos e nos deu uma vida nova da parte de Cristo Jesus; e muitos séculos atrás, Ele planejou que gastássemos essa vida em auxiliar os outros" (Ef 2.10, A Bíblia Viva).

Esta é a nossa vocação. Por meio da divulgação de boas práticas, reflexões bíblicas, levantamento de experiências históricas, identificação das iniciativas, a rede quer encorajar e capacitar organizações, igrejas e pessoas a não se intimidar com as estatísticas e a promover verdadeira transformação integral.

veja também