Voluntários cristãos chegam ao Haiti

Voluntários cristãos chegam ao Haiti

Atualizado: Segunda-feira, 25 Outubro de 2010 as 1:41

A caravana de voluntários enviada através de Missões Mundiais da CBB para realizar atendimentos médicos, odontológicos e fisioterápicos, atividades esportivas, artísticas e educacionais, intercessão, visitação e capelania, chegou ao Haiti no dia 6 de outubro. Os 56 integrantes, vindos de diversas partes do Brasil, estão sob a coordenação do Pr. Marcos Grava, coordenador do Programa Esportivo Missionário e do setor de voluntários da JMM. O número de voluntários enviados ao Haiti é recorde na história da igreja evangélica brasileira, segundo o Pr. Grava.

O grupo deixou o aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, na madrugada do dia 5. O voo seguiu rumo a Santo Domingo, capital da República Dominicana, país vizinho ao Haiti, em função da interrupção dos serviços para Porto Príncipe, a capital haitiana, por causa dos estragos causados pelo terremoto de janeiro deste ano. No aeroporto dominicano a equipe foi recebida pelo Pr. Jonathan Joseph, coordenador dos missionários da terra e obreiro da JMM, com uma faixa, em francês, idioma oficial haitiano, que dizia “Brasil e Haiti: juntos por uma nova nação”.

A caravana de voluntários levou na bagagem para o Haiti centenas de doações, como roupas, remédios, material evangelístico e até uma bicicleta. Para o Pr. Grava, o embarque com tantas doações, sem receber nenhum questionamento por parte da companhia aérea ou de autoridades, é motivo de agradecimento. “Louvem a Deus por esta vitória inicial, pois não houve impedimento para embarcar todas as doações”, disse o coordenador.

Após a chegada a Santo Domingo, o grupo descansou para, no dia seguinte, partir rumo a Porto Príncipe. Naquela cidade, de acordo com o Pr. Marcos Grava, o grupo foi dividido em duas equipes, sendo uma para atuar mais especificamente na área da saúde, e que viajou até o nordeste do país, e outra que ficará na capital ajudando na reconstrução da cidade e da vida dos haitianos, apresentando-lhes a Palavra através do amor e do serviço à comunidade.

Para o Pr. Grava, as dificuldades no trabalho dos voluntários começam agora. Apesar de cada integrante do grupo ser bastante convicto de sua missão, o cenário de dor e sofrimento, marcas deixadas pelo terremoto, e a apatia do povo haitiano, imerso em pobreza há anos, são obstáculos que precisam ser vencidos. Além disso, a situação do país, neste momento, é pior que a vivida nos primeiros meses do ano. Falta de tudo para a população. A ajuda humanitária que ainda chega ao país é desviada e vendida no mercado negro. “Pedimos que estejam em constante oração por nossos missionários voluntários. Que Deus possa usar grandemente cada um para marcar a vida dos haitianos com o amor que vem dEle”, finaliza o Pr. Marcos Grava.

A caravana de voluntários voltaram ao Brasil no dia 17 de outubro.  

veja também