495 anos de um ato de fé e coragem

495 anos de um ato de fé e coragem

Atualizado: Quarta-feira, 31 Outubro de 2012 as 1:34

 

martinho lutero - reforma protestanteEle teve fé suficiente para expor aos quatro ventos o Deus em quem ele cria. Coragem o bastante para por em risco a sua própria vida, em nome de uma causa justa. Foi isso que Martinho Lutero fez, quando em 31 de outubro de 1517 afixou as suas famosas 95 teses, na porta de entrada da Igreja do Castelo de Wittenberg – Alemanha.  O fato marca oficialmente o início da Reforma Protestante. Basicamente, as 95 teses de Lutero rechaçavam os mandos e desmandos da igreja tradicional e paganizada, trazendo a igreja para mais próximo de Deus e para mais distante da idolatria eclesiástica.
 
A Reforma foi a principal responsável, nestes últimos 500 anos, por colocar novamente a Bíblia nas mãos das pessoas, para que, elas mesmas, de modo livre e consciente, possam ler a Escritura e decidir se querem ou não abraçar a fé genuína e bíblica. Esta Fé, segundo a Confissão de Cambridge, estabelece que Somente Deus, Somente Jesus, Somente a Bíblia, Somente a Fé e Somente a Graça devem ser a fundamentação da vida cristã autêntica. Primeiramente, a fé reformada é centrada em Deus – tomado aqui como a Trindade Bendita – que é digno de toda a Glória, daí a expressão latina Soli Deo Gloria; depois Jesus, único meio de ligar ou religar o Ciador à criatura – Solus Christus; a Bíblia, como única regra de fé e prática – Sola Scriptura; a Fé, como elemento essencial para nos conduzir a Deus – Sola Fidei e a Graça, pela qual Jesus Cristo salva o pecador – Sola Gratia.        
 
A melhor maneira de celebrarmos a Deus por estes 495 anos da reforma é lutando com todas as nossas forças para continuarmos focados neste credo que, de fato, expressa tudo o que precisamos para viver uma vida cristã que glorifique a Deus e que nos mantenha no caminho até a eternidade. A Reforma, que colocou as Bíblias de volta nas mãos do povo, poderá ser renovada em nós e na igreja de Cristo de nossos dias, se mantivermos o Santo hábito de abrir diariamente as Escrituras com o fim de continuar crescendo em Cristo (2 Pe 3.18). D. L. Moody conseguiu captar a importância da Bíblia para a vida do crente, quando afirmou: “Ou a Bíblia te afasta do pecado, ou o pecado te afasta da Bíblia.” Que assim como os reformadores, optemos por negar o pecado e dar vazão à Escritura e à vontade de Deus em nossa vida diária. Que Deus renove o cerne da Reforma em nossas vidas nestes tempos de século XXI. 
 
 
por Pr. Marcio Rogério Gomes David
 

veja também