A água tá fervendo? - Coluna Rev. Edinei Reolon

A água tá fervendo? - Coluna Rev. Edinei Reolon

Atualizado: Sexta-feira, 26 Junho de 2009 as 12

"Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo seu propósito" Rm. 8:28

"Era uma vez três amigos: A cenoura, o ovo e o pó de café. Certo dia, durante um passeio pela cozinha de um restaurante, acabaram caindo dentro de um caldeirão com água fervendo. O desespero foi geral. A cenoura que era conhecida por ser forte, firme e inflexível e que estava acostumada com a dureza da terra e as adversidades da horta, depois de um tempo dentro do caldeirão, estava toda mole, vulnerável e quebradiça. O ovo com sua casca fina e frágil que protegia seu interior sensível, ao cair na água quente começou a se transformar e após um tempo, estava endurecido por dentro. O pó de café quando percebeu a gravidade da situação e o calor que aumentava os perigos daqueles momentos, decidiu não permitir que a água o influenciasse e mudasse sua vida, ele tomou o controle da situação e mudou a água, transformando-a numa gostosa e saborosa bebida".

Aprendemos muitas coisas com esta simples história. Com que nos compararemos? A água fervendo pode ser comparada com as situações difíceis que enfrentamos diariamente, adversidades que tentam nos submeter e alterar nossa vida definitivamente. O desemprego, doença, dificuldades financeiras, crises emocionais, problemas familiares, apatia, depressão, são alguns exemplos de caldeirões. A cenoura pode ser igualada com aquelas pessoas que se apresentam como fortes, resistentes e vigorosas. Mas a dor da adversidade provocada pelo calor das situações difíceis faz com que as mesmas murchem e fragilizadas percam suas forças. Por outro lado, muitas pessoas se assemelham ao ovo, que tem um coração maleável, com sentimentos bons, mas depois de alguma complicação, como morte, perdas, doenças, frustrações, traições ou demissões, tais pessoas se tornam duras e inflexíveis, com um coração magoado e de difícil acesso. Já o café é o tipo de gente que transforma as situações e quando chega ao máximo da fervura e do calor, consegue o maior potencial do seu sabor e aroma, trazendo alegria e satisfação para quem está por perto.

O apóstolo Paulo afirmou em um dos seus escritos bíblicos, acima citado, que Deus está no controle de todas as coisas e que por causa disso precisamos ter fé e perceber que as adversidades são oportunidades de transformação para melhor da nossa vida. Alguém já disse que o maior problema não é o que fazem conosco, mas sim, o que fazemos com o que fizeram conosco. As pessoas como cenouras e ovos, permitem que as situações da vida determinem sua conduta, já as pessoas-café fazem dos elementos causadores de sofrimento, possibilidades de melhorar tudo ao redor e por dentro. É lógico que se pudéssemos escolher, preferiríamos uma temperatura bem menor e mais amena. Da mesma forma devemos orar e buscar, se preciso for, milagres para conseguirmos amenizar as altas temperaturas da vida, mas, nunca nos esquecendo que Deus nos fez para sermos agentes de transformação.

Creia que Jesus Cristo pode controlar todos os elementos ao seu redor. Ele define o limite que a temperatura da água pode chegar, a pressão atmosférica, o ponto de ebulição e as características da água que ferve. Decida que a alta temperatura emocional, familiar, relacional ou profissional não será suficiente para mudar seu interior, pelo contrário, você sim, pelo poder do Espírito Santo, tornará a vida mais saborosa. Vamos tomar um café?

Edinei Beteli Reolon é pastor titular da Igreja Metodista Central em Goiânia (GO), superintendente Distrital de Goiás. Bacharel em Teologia (UMESP) e Administração de Empresas (PUCC). Pós-Graduado em "Especialização em Aconselhamento Pastoral" (UMESP).

veja também