"A ExpoCristo tem um formato alternativo e próprio", afirma Ratinho Jr.

"A ExpoCristo tem um formato alternativo e próprio", afirma Ratinho Jr.

Atualizado: Terça-feira, 29 Junho de 2010 as 10:05

É uma maneira repaginada de levar a mais pessoas, e a um número maior de comunidades, os ensinamentos de Cristo em um espaço midiático. Foi assim que o comunicador paranaense e deputado federal Carlos Massa Jr. - mais conhecido como Ratinho Jr. - definiu a ExpoCristo.

O Guia-me teve a oportunidade de conversar com o filho do conhecido apresentador Carlos Massa (Ratinho) e abordou a relevância que a ExpoCristo alcançou em seu formato midiático e social. Em seu depoimento, o comunicador ressaltou que um dos diferenciaais da Feira está em seu formato alternativo e original, além de confessar que considera o alcance do evento imensurável.

&&Com um público dirigido, mas também potencialmente indeterminado e diversificado, a ExpoCristo tem um formato alternativo e, ao mesmo tempo, próprio diante das características inerentes ao discurso religioso midiático. A ExpoCristo encontra um novo caminho, com um ajuste moderno e inteligente nas regras da própria palavra religiosa .[...] Eu não saberia medir em números qual seria o alcance final no Estado e na Região. Apenas faço esta análise como um comunicador, que também sou, e observador atento da sociedade em que vivo&&, afirmou.

Agente Social

Ratinho Jr. lembrou que a ExpoCristo não atua somente de forma midiática, mas também com uma relevância social. Além da divulgação dos princípios cristãos, o comunicador lembrou a importância de palestras ministradas no decorrer da feira, como é o caso das que alertam para o combate às drogas , à violência e, contribuindo assim para fortalecer relacionamentos importantes como os laços familiares.

&&A ExpoCristo também desenvolve uma função social. Pois sei que realiza trabalhos no combate às drogas, à violência, sob a perspectiva de uma política de paz e de fortalecimento da família, dos laços fraternos, dos valores humanos e cristãos. É o que almejamos também como políticos, basta observar o &slogam& do nosso Partido Social Cristão: &o ser humano em primeiro lugar&&, salientou.

Após falar sobre a identificação existente entre a Feira e o seu partido político, Ratinho Jr. assumiu que o poder público não age sozinho. Lembrou que a contribuição dada por iniciativas como as da ExpoCristo são essenciais.

&&Assim, o trabalho executado pela ExpoCristo merece o nosso apoio e aplausos. Afinal, todos sabem que o poder público isolado nada consegue. É preciso leis justas e fortes, como as que buscamos concretizar em Brasília. Mas também é necessário orçamento para a efetivação dessas leis. Além disso, a participação de todos os segmentos e da população/cidadã potencializam a engrenagem para o sonho coletivo de um país próximo do ideal para todos. Juntos, podemos sonhar com a instituição de um Estado democrático, com direitos sociais e individuais, com liberdade, segurança, saúde, moradia e trabalho dignos para uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos. É o Brasil que queremos e podemos construir&&, declarou.

Se desdobrando

Além de ser um dos deputados mais votados do Paraná, Ratinho Jr. também atua como apresentador de programas de rádio e televisão. Quando perguntado sobre a administração de tantas atividades, o comunicador lembrou que o amor à profissão é indipensável para um bom desempenho e divisão justa de tantas tarefas. Citando o seu pai e seus &&mestres&&, ele lembrou que aprendeu a ser bem disciplinado desde cedo e isso o ajudou muito em sua carreira profissional.

&&Desde menino, aprendi com os meus pais, e com os mais antigos, a ser muito organizado e disciplinado. Durmo e acordo muito cedo. Mesmo aos sábados, às seis horas já estou na Rádio Massa FM em nosso programa diário &Microfone Aberto&, onde os meus colegas e eu temos uma ligação direta com a população. Aprendi também com o meu pai que podemos trabalhar com seriedade e, ao mesmo tempo, nos divertir. Assim, tudo o que eu faço é com prazer e felicidade. Apenas lamento quando ocorrem tragédias, mas mesmo nas dificuldades podemos retirar algum ensinamento, como nos ensinam os sábios orientais&&, lembrou.

Por João Neto - www.guiame.com.br

veja também