A favor dos cristãos, jurados decidem que tribunais islâmicos são ilegais

A favor dos cristãos, jurados decidem que tribunais islâmicos são ilegais

Atualizado: Terça-feira, 1 Junho de 2010 as 4:51

Um grupo de jurados no Quênia decidiu que os tribunais muçulmanos do país são ilegais e discriminatórios.

Os tribunais muçulmanos "Kadhi" foram implantados sob o comando colonial da Inglaterra, e lidava com questões relacionadas ao casamento e herança da minoria muçulmana no Quênia. Em 2004, um grupo de líderes cristãos abriu um processo desafiando a proposta de oferecer um status constitucional para os tribunais Kadhi na nova constituição, que estava sendo preparada pelo novo governo. Muitos cristãos temiam que as propostas feitas para os tribunais Kadhi iriam aumentar a autoridade da lei islâmica (sharia) no Quênia, e minar o princípio constitucional básico de igualdade entre os cidadãos.

Os jurados decidiram, em favor dos cristãos, que a inclusão dos tribunais Kadhi na constituição favoreceria uma religião em detrimento das outras presentes no país, e que esses tribunais são inconstitucionais já que o Quênia é um estado laico. O advogado geral disse que vai apelar da decisão.

Tradução: Missão Portas Abertas

veja também