A fraqueza de Paulo

A fraqueza de Paulo

Atualizado: Quarta-feira, 13 Janeiro de 2010 as 12

O apóstolo Paulo quando se dirige aos coríntios ele diz que veio até eles em fraqueza, em temor e em grande tremor. Isso me faz pensar como um homem como ele temeria a alguma coisa? Como um cara como Paulo sentiria fraqueza? Porque Paulo vem aos coríntios tremendo?

Bem esse foi um baita exercício pra mim porque no meio de reflexões diversas sobre esse texto, eu só consegui chegar a uma conclusão. Fraqueza, temor e tremor, são ingredientes essenciais para se viver diante de Deus, como quem caminha diariamente no santo dos santos.

A fraqueza é percebida quando não podemos mudar as coisas que nos perturbam, quando eu olho pra Deus e enxergo a minha nutilidade e inoperância perto de sua imensa e fulgurosa glória. Só me resta buscar forças no autor da vida, no ser que reúne condições de me fortalecer, porque como o próprio apóstolo colocou com imensa sabedoria, a única forma de ser forte e poderoso no reino é quando nos encontramos extremamente dependentes de Deus. Somente assim posso viver a máxima "Quando estou fraco é que sou forte."

O temor é o que os irmãos veterotestamentários chamam de princípio da sabedoria. Eu traduziria da seguinte forma: "Temer a Deus faz bem e mantém os dentes no lugar". O temor é a marca do adorador. Porque quem adora vive em arrependimento. Quem adora tem que temer o Deus adorado por conhecer o seu poder e o seu caráter. Não é medo, é temor. Não é pavor, é temor.

O tremor é o resultado de se viver em temor. Tremo de nervoso quando penso no fim dos dias, no armagedon, no julgamento dos ímpios, nas surpresas que teremos no dia do grande trono branco. Tremo quando penso que estamos vivendo a rotina, o roteiro de gerações de inutilidade e consumismo, e não estamos construindo um caminho para que novos discípulos andem por ele.

E no mais, tudo na mais santa paz!

veja também