"A igreja deve ter uma visão mais ampla sobre as pessoas", diz pastor

"A igreja deve ter uma visão mais ampla sobre as pessoas", diz pastor

Atualizado: Sexta-feira, 7 Janeiro de 2011 as 2:19

No exercício da atividade política, como vereador por Maceió de 1982 a 1988, o social foi sua bandeira de luta. A Comissão de Defesa do Consumidor, na Câmara, em 1983, o passe e o ano do idoso, em 1985, foram algumas de suas conquistas no prorrogado mandato de seis anos como legislador. Hoje, radicado em Curitiba há 20 anos, o psicólogo e pastor Guilherme Falcão mantêm suas raízes voltadas ao social e pretende trazer à terra natal novas experiências que adquiriu na capital paranaense.

Aos 58 anos, mandato político não faz mais parte de seus planos. Exerce a profissão de psicólogo desde 1988. Há dez anos é pastor voluntário da Igreja Batista de Bacacheri, na região metropolitana de Curitiba, onde coordena um projeto chamado Policlínica, com uma equipe de 18 profissionais de várias especialidades trabalhando com pessoas que buscam na igreja ajuda para sua família, casamento, filhos drogados; filhos que não vão bem na escola devido a conflitos conjugais do casal e muitas outras necessidades sociais.

“Atendemos este ano 2.700 pessoas que procuravam melhorar sua vida socialmente, espiritualmente, psicologicamente e emocionalmente; pessoas que queriam melhorar em todas as áreas. E o milagre do evangelho faz com que essas pessoas, que estavam deprimidas, nas drogas; estavam perdidas, sem nenhuma perspectiva de vida, resgatem a cidadania, passem a ser trabalhadoras, estudiosas, pais de famílias; famílias estruturadas. Tudo isso pelo poder precioso do Senhor Jesus”, conta o pastor Guilherme.

A missão da igreja, segundo ele, não se resume apenas à pregação do evangelho.

“A igreja deve ter uma visão mais ampla em torno das pessoas que aceitam Jesus, pois elas precisam, em sua grande maioria, de orientação, de encaminhamento para outras necessidades. E não devemos fazer isso simplesmente para segurá-las na igreja, mas por amor a Jesus, porque Ele curava, cuidava, ouvia, dava uma nova vida às pessoas, seja qual fosse a classe social ou a situação dela”, diz.

Em Alagoas

Pastor Guilherme, que faz parte do Conselho de Psicologia e da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia do Paraná, exerce atividades clinicas em Psicologia e leciona em vários cursos de Pós-graduação. É mestre em Tecnologia e Trabalho. De férias, veio a Maceió passar as festas de fim de ano com a família. Na próxima sexta-feira etará participando do Acampamento dos Pastores Batistas, que ocorrerá de quinta a domingo em Paripueira.

"Fomos convidados pelo presidente da Ordem dos Pastores Batistas do Brasil, em Alagoas, pastor Alcides Neto, também presidente da Convenção Batista Alagoana, para apresentar a idéia de implantarmos em Alagoas um projeto semelhante ao Policlínica, com a participação de igrejas de outras denominações, a exemplo do que ocorre em minha igreja, que atende à população da capital e de mais cinco cidades da Grande Curitiba”, conta.

Outra idéia que ele vai apresentar aos pastores é que esse trabalho é feito, também, porque há em sua igreja um curso de pós-graduação de aconselhamento pastoral e de agente familiar da terapia sistêmica ligados a uma faculdade teológica reconhecida pelo MEC e que podem ser implantados em Alagoas.

“Os profissionais do projeto têm acesso a esses cursos e atendem na igreja sem qualquer problema, porque tudo é feito com ética e profissionalismo. A diferença é que trabalhamos por amor a Deus, porque Jesus atendia as pessoas integralmente”, concluiu.

veja também