"A igreja precisa ser submersa de amor" diz pastora da Quadrangular

"A igreja precisa ser submersa de amor" diz pastora da Quadrangular

Atualizado: Sexta-feira, 9 Setembro de 2011 as 12:25

Diretora Estadual da Missão Quadrangular Cristo para as Crianças do Rio Grande do Sul e também coordenadora da Missão Quadrangular Cristo para as Crianças de Caxias do Sul/RS a Pastora Mônica Ribas sempre teve em seu coração um amor muito grande pelas almas dos pequeninos e desde então vem desbravando fronteiras na missão de levar a luz de Cristo onde não se tinha a visão do valor da criança.

Psicóloga, com formação Clínica em Terapia Sistêmica (família e casais), Mônica se converteu em 1981 e iniciou seu trabalho no ministério infantil em 1985 no G.M. C. da 1ª I.E.Q. de Curitiba como líder e posteriormente como presidente do grupo.

Em entrevista ao GUIA-ME a pastora fala sobre a carência de amor existente nas crianças hoje e sobre a importância da intimidade com Deus. Confira a entrevista na íntegra:

Onde se encaixa a palavra "paternidade" na liderança atual?

A liderança de uma forma geral necessita muito disso. Uma pesquisa recente chegou à conclusão que pastores titulares das igrejas eram as pessoas que mais precisavam de intimidade com Deus. Para encontrar essa intimidade é preciso ter um relacionamento de pai para filho com Deus, conhecê-lo de perto. Sou pastora da igreja quadrangular e vejo a carência dos líderes em encontrar esse amor de Pai. Cada região tem sua carência de amor, por exemplo, no Norte é possível ver o sentimento enorme de rejeição, no Nordeste você encontra a carência financeira, vejo o abandono na região centro-oeste. A igreja precisa ser submersa de amor.

Então, você acredita que a liderança que não aprende o senso da paternidade acaba refletindo isso aos seus liderados?

Como você compartilha algo que não tem?

 Se os líderes não vivem experiências de retribuir amor como passar isso para seus liderados? Na realidade são passadas visões distorcidas.

Para você, quais os trabalhos a igreja deve desenvolver para satisfazer essa carência tão grande de amor?

Primeiramente, é preciso buscar novas experiências com Deus, no seu cotidiano e na rotina. As pessoas precisam de alimento para satisfazer essa carência, uma das características do Deus pai é nutrir. Precisamos, também, nutrir as pessoas com a palavra.

Você falou sobre as diferenças regionais das pessoas. As práticas para alcançar todas elas devem ser diferenciadas?

Acredito que sim, temos que respeitar a cultura de cada uma delas. A linguagem do amor é universal, alcança a todos, porém a metodologia deve ser diferente.

Por Marcos Corrêa

veja também