"A unidade só é mantida pelo amor", disse Juliano Son no Livres 2010

"A unidade só é mantida pelo amor", disse Juliano Son no Livres 2010

Atualizado: Segunda-feira, 24 Maio de 2010 as 2:59

O Livres 2010, que aconteceu na última sexta, 21, e sábado, 22, atraiu cerca de quatro mil pessoas em cada dia do evento, o primeiro sediado na Igreja Bola de Neve, que há pouco mais de um mês mudou sua sede para a antiga casa de shows Olympia. Organizado pelo grupo Livres para Adorar, o congresso reuniu o que o vocalista Juliano Son associa com as "as diversas tribos de Israel", ou então, representantes das variadas comunidades evangélicas. O propósito foi tratar aquilo que une as denominações a partir de assuntos considerados inegociáveis, como a salvação em Jesus Cristo.

"A unidade revela a glória de Deus. É essa glória que vai nos revelar que Deus é uma comunidade. Ele é pai, filho e espírito. Ele é três, mas também é um", afirmou Juliano que destacou o amor como indispensável para a união e rompimento do que é um impedimento para a harmonia do Corpo de Cristo, como "zombar das doutrinas e costumes de outras igrejas". "Todas as vezes que permitimos que diferenças pequenas sejam obstáculos para união, nós desonramos o sacrifício de Deus. Essa unidade só é mantida pelo amor".

Pela primeira vez no Brasil, a banda Leeland endossou a mensagem do congresso por uma ótica referente à realidade das igrejas norte-americanas. "Mesmo nos EUA tem divisões, mas é tão poderoso quando a Igreja se une. Deus está fazendo a mesma coisa aqui no Brasil", disse o vocal e tecladista Jack Mooring, irmão do Leeland, que garantiu o interesse do grupo em voltar ao país após a experiência de adoração com o público brasileiro. "Temos vários amigos que já tinham vindo ao Brasil, haviam tocado aqui e nos disseram como o Brasil era incrível. Então, as nossas expectativas eram muito grandes. O Brasil excedeu totalmente essas expectativas", relatou Mooring entusiasmado.

Leeland: "Não queremos ter vergonha de dizer o nome Dele"

Além do Leeland, participaram do evento personalidades como Ariovaldo Ramos, professor Adauto Lorenço e o próprio Livres para Adorar. Para Nívea Soares, o convite surgiu após o interesse da cantora em estar no evento, sem a pretensão de participar da programação. "Juliano, Juliano! Ai de ti se não me convidar. Eu brinquei com eles, eu gostaria de estar para receber mesmo. Ele me colocou para ministrar (risos). Tudo é baseado em relacionamento", observou Nívea que apontou o cuidado da organização em trazer convidados com uma vida em conformidade com o que é pregado ou cantado.

"Mesmo nos EUA tem divisões, mas é tão poderoso quando a Igreja

se une. Deus está fazendo a mesma coisa aqui no Brasil", disse

Jack Mooring, irmão do Leeland.

"O Juliano pôde conversar com o pessoal do Leeland para ver como eles eram. Muitas vezes as pessoas não são aquilo que elas cantam. O Ju pode averiguar, pôde ver que eles são aquilo que eles cantam. Isso abençoou muito o coração deles e me abençoou também. Foi um presente de Deus para mim estar aqui", agradeceu Nívea.

Com 95% das adesões ao congresso em período integral, o Livres 2010 trouxe pessoas de diversos estados. Daniel Alencar, do ministério Aba Pai do Maranhão, entende que o plano de Deus é "levantar esse ministério [Livres] mais do que tem levantado. O Brasil precisa de boa música e eles têm isso. Eu acho que eles têm de verdade um coração que Deus pode usar". Ele também destaca que a música é um jeito mais fácil das pessoas compreenderem o que o Espírito Santo quer falar: "Pela música a gente ouve, eu acredito que agora é o tempo de obedecer. Eu acredito que é desfrutar desse relacionamento com a Palavra e colocar em prática", observa.

Além de aproximar as igrejas, denominações e cristãos, o congresso teve um papel de evangelização. Felipe Siqueira, que estava na igreja Bola de Neve pela primeira vez, conta que foi convidado pelos amigos para ir ao Livres 2010 e que sentiu algo diferente. "A estrutura é maravilhosa e eu fui muito bem recebido. As pessoas me cumprimentaram e me olhavam nos olhos. Eu me senti acolhido", testemunha Felipe.

"As mudanças começam com os jovens"

"Todas as vezes que permitimos que diferenças pequenas sejam

obstáculos para união, nós desonramos o sacrifício de Deus", destacou

Juliano Son, vocalista do Livres para Adorar.

Uma das peculiaridades do ministério Livres para Adorar é estar focado na juventude cristã. Carol Suguihara, filha do pastor Massao Suguihara e vocalista da banda Stroge 2, comenta que em São Paulo tem poucas bandas que são direcionadas ao público jovem. "Nós parecemos muito com eles [Livres] nesse sentido, de ter um som bem bacana, jovem e ter essa visão de levantar a nossa geração", analisa Carol.

Com um ministério semelhante ao de Juliano, baseado no diálogo com os jovens, o apóstolo Rinaldo Seixas, entende que o propósito do Livres 2010 é "despertar na Igreja a sede por adoração". "Eu vejo o Juliano muito mais como um pregador do que como um adorador. É um pregador que adora", definiu Rina, como é carinhosamente chamado.

Consciente da realidade da Igreja, em que nem sempre é apresentado um evangelho de acordo com o de Jesus, com tantas teologias díspares, o pastor Ariovaldo Ramos classificou o congresso como "espetacular". "Não me surpreende o fato de serem jovens porque todas as mudanças começam com os jovens. São eles os grandes responsáveis pelo avivamento no mundo todo", disse Ariovaldo ao GUIA-ME.com.br, que sentiu-se surpreso e contente por ter sido convidado a ministrar.

Por Felipe Pinheiro e Débora Padoin Malva

veja também