ABGLT repúdia Dia do Orgulho Heterossexual e pede veto

ABGLT repúdia Dia do Orgulho Heterossexual e pede veto

Atualizado: Quinta-feira, 4 Agosto de 2011 as 2:17

A ABGLT (Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) divulgou nesta quarta-feira (3) uma nota de repúdio aos 19 vereadores que aprovaram ontem o projeto de lei que cria o Dia do Orgulho Heterossexual em São Paulo. A autoria é do vereador evangélico Carlos Apolinário (DEM).

“É descabido propor a celebração, respaldada em lei, do ‘orgulho heterossexual’ a fim de simplesmente desmerecer a luta social justa da população LGBT.Os heterossexuais não são discriminados pelo simples fato de serem heterossexuais, ao contrário dos homossexuais, a exemplo dos casos recentes de violência homofóbica na avenida Paulista”, afirma nota oficial.   Segundo o UOL a associação diz ainda que, com a aprovação do projeto, ocorre uma mensagem de “ridicularização da cidadania da população LGBT” e que os vereadores “expuseram para mundo sua mediocridade ignorante em compartilhar da mesquinharia do vereador autor do projeto”.

O Dia do Orgulho Heterossexual havia sido aprovado em primeira discussão em 2007. Nos últimos quatro anos, causou polêmica toda vez que era levado para discussão em plenário. Muitas vezes, sessões extraordinárias com temas importantes em discussão foram derrubadas, por causa dos acalorados debates acerca do tema.

Apolinário, autor da proposta, negou estar incentivando a violência contra os homossexuais, como acusam os vereadores do PT. "O projeto é um protesto contra os privilégios dados aos gays”, alega.

A ABGLT pede que o prefeito, Gilberto Kassab, vete a proposta. Segundo a associação, suas 237 organizações afiliadas são contrárias ao projeto.     Por Pollyanna Mattos Com informações do UOL

veja também