Aborto e religião viram tema de 2º turno ao governo em Rondônia

Aborto e religião viram tema de 2º turno ao governo em Rondônia

Atualizado: Quinta-feira, 14 Outubro de 2010 as 2:16

Os dois candidatos que disputam o governo de Rondônia no segundo turno se reuniram neste feriado com líderes e pastores evangélicos para reafirmar valores cristãos e anunciar futuras parcerias com as igrejas caso sejam eleitos.

Assim como na disputa nacional, o aborto e a defesa de valores cristãos têm pautado acusações e debates entre os candidatos no Estado.

Na reunião em apoio ao atual governador João Cahulla (PPS), que disputa a reeleição, o candidato apoiado pelo PT, o peemedebista Confúcio Moura, foi acusado de defender o aborto, o casamento gay e a restrição à pregação do Evangelho.

"Vemos no lado adversário a aliança com pessoas que defendem o aborto. Por isso, vamos nos somar às fileiras do Cahulla, para mobilizarmos os irmãos em Cristo em torno da sua eleição", disse o deputado estadual Valter Araújo (PTB), que é evangélico.

Cahulla aproveitou o encontro, que reuniu 20 líderes religiosos, para afirmar que é cristão e contra o aborto. Ele também propôs a criação de um conselho estadual de entidades religiosas para orientar o governo sobre "questões de interesse da sociedade".

Já Confúcio, que recebeu o apoio do candidato derrotado do PT, Eduardo Valverde, neste segundo turno, afirmou a cerca de 60 pastores que irá fazer parcerias com igrejas para combater a criminalidade e recuperar crianças e jovens em situação de risco no Estado.

Segundo o último Censo, 27% da população de Rondônia é evangélica --contra 15% no Brasil.

veja também