Acidente de carro envolve grupo evangélico

Acidente de carro envolve grupo evangélico

Atualizado: Segunda-feira, 20 Setembro de 2010 as 9:49

Subiu para cinco o número de mortos no acidente envolvendo uma van com um grupo de evangélicos e um caminhão carregado de madeira, ocorrido sexta-feira, em Pesqueira, no Agreste pernambucano. A aposentada Maria Amara de Araújo Silva, 67 anos, que estava internada no Hospital da Restauração, no Recife, não resistiu aos ferimentos e faleceu anteontem à noite.

Ela era passageira da van, que seguia com integrantes da Igreja Presbiteriana dos Barreiros em missão evangélica para o Vale do Catimbau, na zona rural de Buíque, no Sertão. A maioria dos 16 ocupantes do veículo era da cidade de Barreiros, na Mata Sul, mas Maria Amara residia no município vizinho de São José da Coroa Grande. De acordo com a assessoria de comunicação do Hospital da Restauração, a aposentada morreu em decorrência de um traumatismo craniano encefálico. Somente ontem, a Polícia Rodoviária Federal conseguiu retirar os dois veículos do local do acidente. Isso porque, com a força da colisão, o caminhão e a van ficaram completamente destruídos. Na batida, também faleceu o casal de namorados Fábio Rogério Campos da Silva e Vanessa Catarina Luna Rodrigues, ambos com 24 anos, que estava na van, além de Edson de Souza, 47, e Adriana Gama de Oliveira, de idade não informada, que estavam no caminhão. A colisão aconteceu às 19h30 da última sexta-feira, na BR-232.

O pastor Jaed Vasconcelos, que coordenava a viagem missionária e também estava na van, lamentou mais uma morte em decorrência do acidente. “Como a igreja de Barreiros originou uma outra em São José da Coroa Grande, também tinha gente de lá na van. Estamos todos muitos tristes com essa tragédia”, afirmou.

Outros seis passageiros da van ficaram feridos, sendo que cinco receberam alta no sábado. A única que continua internada é Maria das Dores do Egito Silva, 58, que está em um hospital particular do Recife. “Ela teve algumas fraturas pelo corpo, mas não corre risco, embora não tenha previsão de alta. Estamos gratos a Deus porque a livrou do pior”, comentou a filha de Maria das Dores, Sheila Egito. O pai dela também estava na van e teve apenas um ferimento na testa. O casal mora em São José da Coroa Grande.  

veja também