Adolescente abandonada é adotada por casal cristão após orar: “Deus devolva minha família”

Parsha cresceu num lar problemático, foi abandonada pelos pais e aos 12 anos viu sua mãe ser assassinada em casa. Mas Deus de forma sobrenatural, lhe deu uma nova família.

fonte: Guiame, com informações de Eternity News

Atualizado: Terça-feira, 18 Maio de 2021 as 12:11

 Parsha ganhou de Deus uma nova família. (Foto: Eternity).
Parsha ganhou de Deus uma nova família. (Foto: Eternity).

Parsha cresceu no norte da Índia, em Kalimpong, em um ambiente familiar não saudável. Seu pai era hindu e sua mãe budistas, eles brigavam muito e havia violência em casa.

Quando a menina estava na segunda série, seu pai disse que iria viajar, mas nunca mais voltou. Depois do marido abandonar a família, a mãe de Parsha começou a viver desregrada, abandonando o cuidado com a filha.

"Minha mãe perdeu o controle. Ela começou a beber e fumar. Ela acabou em relacionamentos errados. Eu nunca soube onde ela estava, ou se ela voltaria. Eu era filha única e estava completamente sozinha. Minha vizinha às vezes me deixava entrar em sua casa e às vezes me colocavam num albergue. Eu não sabia o que estava acontecendo e não sentia nenhuma esperança”, relatou Parsha.

E assim a menina foi se criando sem a presença da mãe, que sumia por semanas, deixando a filha sozinha. Quando Parsha tinha 12 anos, um certo dia sua mãe voltou para casa com três amigos que nunca tinha visto.

“Ela bebia e fumava muito. Estava ficando tarde, então disse a minha mãe que estava indo para a cama. Ela me deu um abraço de boa noite. Fui dormir, mas no meio da noite acordei e minha cama estava tremendo. Eu vi um dos amigos da minha mãe esfaqueá-la. Eu gritei e eles me empurraram e depois fugiram”, contou Parsha.

A menina apavorada correu para a rua em busca de ajuda, mas era 2h da madrugada e ninguém a ouviu. Então, ela foi até a casa de seu tio, que morava mais longe. Quando eles voltaram para casa, a mãe de Parsha já estava morta.

“Eu não chorei nada. Eu estava tão traumatizada. Eu nem chorei no funeral. Depois fui morar com alguns parentes. Não foi nada bom. Eu quase nunca ria ou sorria. Eu me sentia tão perdida o tempo todo. Eu tinha grandes dúvidas em meu coração. Por que eu? Por que é assim para mim? Por que isso aconteceu com meus pais?”, disse.

Recomeço com uma nova famlília

Aos 16 anos, Parsha foi morar com outro tio. Sua esposa era cristã e a convidou para ir à igreja certo dia. A adolescente aceitou o convite e teve um encontro com Deus.

"Eu realmente gostei. Todo mundo foi tão acolhedor e legal comigo. Foi a primeira vez na minha vida que alguém foi legal comigo. Então eu voltei. Queria saber se Deus era realmente real. Naquele domingo, as pessoas da igreja estavam orando. Eu não sabia orar, então fiz uma oração estranha. Eu disse: “Deus, se você é real, por favor, devolva minha família”, afirmou.

“Eu sabia que era uma oração impossível, mas orei mesmo assim. Eu estava realmente desejando amor e uma família”, confessou Parsha.

Algumas semanas depois, um casal, que não conhecia a história de Parsha, orava na igreja e Deus lhes disse: “Aquela garota ali…vocês tem que torná-la sua filha”. 

Depois disso, o casal perguntou para os outros membros quem era aquela adolescente. “Eles ficaram chocados. Eles descobriram minha história e ficaram maravilhados”, contou Parsha.

O casal chamou a garota para conversar, contou o que Deus havia dito para eles e disseram: “Queremos fazer de você nossa filha”. Neste momento, Parsha viu a resposta de Deus para sua oração feita naquele culto de domingo na igreja. 

Ela foi adotada e discipulada pelos seus novos pais cristãos. “Eles realmente me amaram! Tiveram um papel tão importante na minha vida! E eu lentamente me abri para a Palavra de Deus. Percebi que Deus era real e se importava comigo. Ele me concedeu 'uma coroa de beleza em vez de cinzas'. (Isaías 61: 3) Entreguei completamente minha vida a Jesus e tudo ficou diferente, a partir de então”, testemunhou Parsha.

Cinco anos depois, a polícia encontrou e prendeu o assassino de sua mãe biológica e a jovem precisou comparecer ao julgamento. “Eu não queria ir, ou perdoá-los. Mas eu orei sobre isso e senti Deus me dizer que era importante. No dia, levei um chaveiro comigo. Tinha as palavras de Isaías 41:10 escritas nele ‘Não tema, pois estou com você’".

Durante o julgamento, tendo que encarar o assassino de sua mãe, Parsha conseguiu liberar perdão ao homem. “Segurei o chaveiro com tanta força! Eu estava tremendo, mas no final, eu me soltei. Eu disse a Deus: ‘Eu os perdoo. O que quer que tenham feito, eu os perdoo”.

“Foi como uma descoberta do meu coração, eu estava completamente livre. Deus foi tão gracioso comigo. E a partir de então, tem sido uma jornada de cura. Leva tempo, mas quero dizer a todos: há esperança quando você confia em Jesus!”, concluiu Parsha. 

 

veja também