Adventistas nos EUA são mais lentos em adotar nova tecnologia, revela estudo

Adventistas nos EUA são mais lentos em adotar nova tecnologia, revela estudo

Atualizado: Terça-feira, 29 Setembro de 2009 as 12

Os adventistas nos EUA são geralmente mais velhos do que o público em geral, o que pode explicar a tendência, declarou Paul Richardson, diretor-executivo do Centro para Ministério Criativo para a Igreja Adventista na América do Norte, falando durante a Conferência da Rede de Evangelismo Internético Global (GiEN).

No Brasil, a integração de Web de coordenação de mídia social e estudos bíblicos da Igreja Adventista está atraindo milhares de solicitações para visitas pessoais. Desafortunadamente, a Igreja é somente capaz de atender menos de um quarto das solicitações. "Isto, eu penso, é instrutivo para nós aqui na América do Norte", declarou Richardson. "As pessoas estão em busca de conexão e desejam edificar confiança". A Conferência do GiEN atraiu 120 especialistas adventistas em Websites, comunicadores e administradores de todo o mundo, que se reuniram em Orlando, Florida, de 9 a 11 de setembro para discutir novos meios de conduzir o trabalho de alcance empregando tecnologias internéticas.

"Isso é para ajudar a inspirar as pessoas, dando-lhes treinamento e oferecendo uma visão global mais ampla para compartilhar ideias e experiências", explicou Williams Costa Jr., coordenador da conferência e diretor-associado de Comunicações para produção de mídia na sede mundial da Igreja Adventista em Silver Spring, Maryland.

No passado, a Igreja revelou-se lenta em tirar vantagem da Internet, disse Jobson Santos, coordenador de evangelismo internético para o centro de mídia da Igreja, no Brasil. "Levou oito anos para iniciar um departamento de Internet em nosso centro de mídia, mas a Igreja está finalmente avançando nisso", ele aduziu. "Estamos agora investindo tempo e dinheiro necessários".

A conferência também destacou o impacto da NetAdventist e Adventist Church Connect, duas plataformas de administração de sítios de Web que permitem que congregações locais facilmente lancem e administrem seus próprios websites. Em vista de que mais de 70 por cento dos visitantes potenciais pesquisarão um website de uma congregação antes de escolher assistir os trabalhos dessa igreja, uma forte presença online é vital, disse Richardson. O seu estudo, "Adventistas e a Internet", é uma pesquisa com 6.000 congregações adventistas nos EUA, 52 por cento das quais têm mais de 100 membros. A pesquisa sugere que um quarto das congregações adventistas têm uma conta de e-mail de propriedade da mesma, destacando o baixo uso da Internet entre os adventistas, disse Richardson.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também