Adventistas participam do 1º Fórum de Liberdade Religiosa no RJ

Adventistas participam do 1º Fórum de Liberdade Religiosa no RJ

Atualizado: Terça-feira, 17 Maio de 2011 as 9:55

Aconteceu na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (ALERJ), dia 28 de abril, o Primeiro Fórum de Liberdade Religiosa com Cidadania no Rio de Janeiro. Líderes e representantes da Igreja Adventista, Batista, Mórmons, Associação Brasileira de Liberdade Religiosa e Cidadania (ABLIRC), OAB de São Paulo e Religiões Africanas, marcaram presença.

  A iniciativa da sessão solene, presidida pelo deputado estadual Paulo Ramos, partiu dos diretores de Liberdade Religiosa dos Adventistas no Rio de Janeiro, os pastores Lourival Preuss, Humberto Cardoso e Paulo Borba, com o apoio do professor Antonio Alves, diretor de Liberdade Religiosa dos Adventistas para a região este do Brasil.

Para o pastor Mauricio Lima, presidente da sede regional da Igreja Adventista para os Estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais, o fórum destacou a necessidade de uma conscientização desta liberdade de expressão da religião dentro do Estado de Direito. O professor Antonio Alves, diretor regional de Liberdade Religiosa, com sede em Niterói disse: “Jovens adventistas tem dificuldades com aulas e provas na sexta-feira a noite e em concursos públicos. Muitos só podem fazê-lo se buscarem um recurso judicial e outros perdem disciplinas na universidade. Muitos, chegam a interromper a sua formação acadêmica, além de serem em muitos casos motivo de chacotas e brincadeiras de preconceito e discriminação.”

Também participou da tribuna o pastor Edson Rosa, diretor para oito países da América do Sul de Liberdade Religiosa da Igreja Adventista e a doutora Damaris Kuo, presidente da Comissão de Direito e Liberdade Religiosa da OAB em São Paulo. Além da aula magna, Damaris acrescentou: “Um fórum como esse além de esclarecer direitos, mobiliza formadores de opinião e o setor público, que cria as medidas que apoiam aqueles que são vitimados pela intolerância religiosa”.

O Fórum contou com mais de 200 pessoas presentes, dentre eles várias autoridades eclesiásticas, políticas e fiéis de religiões variadas. Para os organizadores, o fórum objetiva defender o direito fundamental da Liberdade Religiosa para todas as pessoas. “É uma oportunidade estratégica para formar parcerias com o setor público, judiciário e religioso no sentido de unir forças para a defesa da Liberdade Religiosa”, afirmou Edson Rosa, diretor de Liberdade Religiosa para a América do Sul.

veja também