Afeganistão suspende dois grupos cristãos de ajuda humanitária

Afeganistão suspende dois grupos cristãos de ajuda humanitária

Atualizado: Terça-feira, 1 Junho de 2010 as 1:37

No Afeganistão, grupos de ajuda cristãos foram suspensos, com alegações de que as organizações estão fazendo proselitismo Islâmico no país. "Nós não estamos fazendo proselitismo. Se falarem com a comunidade local eles irão confirmar que aderimos ao código de conduta para uma ONG (organização não-governamental), que é fazer o trabalho, e não proselitismo”, disse Maurice Bloem, diretor de programas internacionais da CWS.Bloem disse que é a primeira vez que o Afeganistão tem acusado a CWS de tentar converter muçulmanos ao cristianismo. O grupo trabalha no Afeganistão desde 1979 e tem cerca de 300 funcionários na área do Paquistão e do Afeganistão.O pastor também declarou que não tenta converter as pessoas para o cristianismo no Afeganistão ou em outras partes do mundo onde trabalha. Uma estação de televisão afegã divulgou no domingo um relatório no qual afirmava que ocidentais estavam batizando os afegãos. O relatório provocou uma manifestação de centenas de estudantes na Universidade de Cabul. Os manifestantes exigiram a expulsão de estrangeiros que tentam converter os muçulmanos. É ilegal o proselitismo no Afeganistão. Em 2007, um grupo de 23 voluntários cristãos da Coréia do Sul foram sequestrados por milicianos do Talibã. Os reféns disseram que estavam no Afeganistão para prestar assistência médica gratuita aos afegãos pobres. Mas os sequestradores os acusaram de proselitismo e os mantiveram em cativeiro por seis semanas. Durante a prisão, o Taliban matou dois homens no grupo.  O pastor Bae Hyung-kyu teria sido morto por se recusar a se converter. O incidente chamou a atenção internacional devido ao perigo de voluntários cristãos serem acusados de proselitismo no Afeganistão.CWS, uma organização dos EUA, é um ministério cooperativo de 36 denominações cristãs. Atua com programas de desenvolvimento em mais de 80 países.

veja também