Agremiação adventista promove congresso universitário

Agremiação adventista promove congresso universitário

Atualizado: Terça-feira, 19 Outubro de 2010 as 11:38

No congresso organizado pela Agremiação Gaúcha dos Universitários Adventistas em Porto Alegre estiveram em pauta questões como: de que maneira se posicionar num mundo em transformação constante sem abrir mão de princípios?

A Agremiação Gaúcha dos Universitários Adventistas (AGUA), entidade que atua na defesa da liberdade religiosa no Rio Grande do Sul e trabalha pelo fortalecimento da identidade do jovem adventista, reuniu 350 universitários no último sábado, 16, em Porto Alegre para discutir as mudanças sociais e a preservação de valores. Como se posicionar num mundo em transformação constante sem abrir mão de princípios?

Esse e outros questionamentos conduziram as palestras e debates do congresso, que oportunizou neste ano a interação dos participantes com escritores, sociólogos, advogados e líderes religiosos.  O escritor Antônio Braga, autor de Sapos Fervidos ou Ossos Dançantes?, entende que mudar é preciso. "Se não mudamos, vamos 'emburrecendo'", reforça. Mas ele observa que paralelamente a um mundo em mutação está uma sociedade marcada pelo que chamou de "deriva paradigmática". Diante disso, o desafio para o cristão é saber como mudar mantendo princípios. "A melhor maneira de lidar com a mudança é ajudar a criá-la. Exercer influência, sem perder os valores", argumenta Braga. O segredo em permanecer firme em meio às turbulências, mantendo a fé, é se apegar a Deus, conforme enfatiza o escritor. "Deus nunca muda", completa.

O apego a Deus é decisivo para que o jovem cristão exerça influência no contexto em que está inserido, segundo defende o doutor em Sociologia, Thadeu Silva, também convidado para o III Congresso Universitário da AGUA. Silva, que tem estudado o comportamento do jovem cristão, é um propagador do conceito bíblico de que a experiência cristã não deve ser caracterizada pela justiça própria. "Talvez nós queiramos impressionar na universidade, no trabalho, mas com justiça própria. Antes de querer ter uma identidade externa apegue-se a Deus", apelou.

Na opinião do universitário Ellon Reis, no dia-dia da escola ou do trabalho dificilmente o jovem cristão tem a oportunidade de discutir, de forma coletiva e com pessoas com interesses afins, assuntos como estes. "Vivemos numa esteira sempre correndo e parar para refletir e fazer uma auto-análise a gente nunca faz. Só a partir da auto-análise a gente tem como mudar alguma coisa, primeiramente em mim e, como consequência, talvez até mesmo na sociedade", analisa. 

Liberdade religiosa - Situações conflitantes entre a guarda do sábado e a participação em vestibulares e concursos públicos, por exemplo, também estiveram em pauta. A liderança da AGUA reforçou o seu apoio aos jovens que enfrentam esse tipo de dificuldade e reiterou que a liberdade religiosa é uma garantia constitucional no Brasil, assegurada no artigo 5º da Constituição Federal. Com base nessa premissa, a entidade tem prestado assessoria jurídica aos guardadores do sábado no sentido de ajudá-los a acessar os seus direitos. 

Os participantes do III Congresso de Universitários também elegeram a nova diretoria da AGUA. Moisés Silva foi reeleito como presidente. A experiência de Silva à frente da entidade foi marcada por projetos sociais que impactaram o Rio Grande do Sul. Uma das campanhas, denominada Galera da Medula, cadastrou apenas neste ano 10.921 (número até outubro) doadores de medula óssea em potencial. O projeto chegou a ser homenageado na Assembléia Legislativa Gaúcha em maio deste ano.

veja também