Álvaro Lins, condenado pela Justiça Federal, é frequentador assiduo da igreja do Pr. Marcos Pereira

Ex-chefe de Polícia Civil, Álvaro Lins, se converte no RJ

Atualizado: Quarta-feira, 29 Fevereiro de 2012 as 10

Em 1994, então major da PM, Álvaro Lins foi citado em operação que investigava o jogo do bicho. Dois anos depois, passou em concurso para delegado. Em 2008, foi preso em outra ação da PF. Em votação na Alerj, recebeu benefício do foro privilegiado e acabou solto. Em agosto, teve mandato cassado, foi preso e denunciado por formação de quadrilha armada, lavagem de bens e corrupção passiva. Em 2009, conseguiu habeas-corpus no STF. Foi condenado em 2010.

Assitindo uma entrevista do Pr. Marcos Pereira na televisão o ex-chefe da Polícia Cívil no Rio de Janeiro afirma que o poder de conversão dos irmãos da igreja do pastor Marcos surpreendeu Álvaro Lins." “Na minha cegueira de homem, que achava que conhecia as letras, imaginava que era impossível fazer o trabalho junto com traficantes e pessoas envolvidas em crimes, pelo interesse da mão de Deus. (...) . Então, é uma alegria poder reconhecer, dizer que eu estava errado, que eu errei e pedir desculpa ao pastor Marcos por ter duvidado do trabalho. Eu vi, com meus olhos, ele retirar pessoas envolvidas com o tráfico, pessoas preste a morrer, e trazer de volta à vida”.


O advogado de Álvaro Lins, Carlos Azevedo, confirma que seu cliente é evangélico e faz elogios a conduta do ex-chefe de Polícia Civil. “Ele é uma pessoa extremamente correta e que leva a vida no sacrifício. Sobrevive dando aulas de Direito numa faculdade”, argumenta o defensor.

Conforme publicado no O Dia, em vídeo recente Álvaro -que está em liberdade provisória - aparece cantando e de olhos fechados dá a mão a uma irmã que entoa: “Receba vida em nome de Jesus”.O culto é o momento de reconciliação para o recém-convertido ex-delegado. O testemunho é de um jovem que foi preso pela equipe de Lins. “Sábado fiz aniversário, doutor. Pedi uma bênção espiritual. E ainda hoje, que é segunda, estou sendo presenteado com a sua presença, porque você está podendo ver a glória de Deus através da minha vida”, contou Álvaro da Silva, o Alvinho, acusado de ser um dos ex-seguranças do ex-traficante Bem-Te-Vi, na Favela da Rocinha.


Após aplaudir o novo Alvinho, confidenciou: “Eu me lembro do episódio envolvendo ele. Era uma operação no Morro do Vidigal.(...) O testemunho dele é verdadeiro. Fiz questão de dar um abraço apertado nele. De dar meus parabéns, de pedir desculpa também se alguma coisa foi feita nele de mal”, contou Álvaro Lins.

veja também