Amizade como instrumento de salvação é tema do Adoleamigo

Amizade como instrumento de salvação é tema do Adoleamigo

Atualizado: Quarta-feira, 10 Agosto de 2011 as 1:24

Vindos de várias regiões do Paraná, 700 adolescentes se reuniram para participar de mais uma edição do Adoleamigo, encontro organizado pelo departamento de Adolescentes da Igreja Adventista na região central do Estado, no último sábado, 6 de agosto. Neste ano, o programa relacionou a importância da amizade para o desenvolvimento humano com a espiritualidade, e destacou como esta pode ser uma ferramenta para salvar outras pessoas.

O pastor Cláudio Belz, que realizou um encontro com adolescentes no mesmo local há 37 anos, relembrou que hoje muitos dos participantes ocupam cargos importantes à frente da Igreja em todo o Brasil. “Naquela ocasião, fizemos diversos apelos para que eles se envolvessem com o propósito de levar o que acreditamos para outros. E muitos aceitaram o desafio”, recorda.

Belz, de 81 anos, está “encantado”, como ele mesmo define, com o envolvimento dos adolescentes em diversos projetos. Durante os 29 anos em que trabalho com a juventude, sua ênfase era na conservação deles, e hoje elogia as iniciativas que buscam incluí-los cada vez mais nas atividades evangelísticas. “Sinto orgulho em ver os líderes de hoje”, compartilha.

Além de mensagens musicais com o grupo Amigos, Sabrina Martins, grupo Voga e Jeferson Pillar, e reflexões sobre namoro, bullying e os perigos que a internet oferece ao jovem cristão, a atenção também foi direcionada ao trabalho evangelístico.  Como desafio, cada participante deveria entregar um exemplar do livro A grande esperança para alguém que encontrasse na rua, oferecer uma oração por ela e convidá-la a acompanhar o final da programação.

Ações de esperança - Surpreendido por três adolescentes, o gari Natanael Cunha, de 43 anos, parou suas atividades em uma das ruas da cidade para receber um exemplar da obra. Aproveitou para fazer dois pedidos e curvou-se para orar com as meninas. Depois que elas se foram, Cunha não conteve a emoção. “Às vezes as pessoas acham que somos um poste.

Ninguém nem diz boa noite”, desabafa o profissional, que varre os mesmos locais há cinco anos. “A melhor coisa que elas estão fazendo é ajudar. Hoje mesmo tive que separar duas crianças que estavam brigando. Nós que trabalhamos na rua vemos cada coisa”, refere-se ele a usuários de drogas e assaltantes.  “O que elas estão fazendo é exemplar e deveria ser seguido por outros.”

Até aquele momento, o estudante Jean Mendes, de 16 anos, nunca havia participado de uma experiência semelhante. Ele, que não é membro da Igreja Adventista, foi um dos diversos adolescentes que foram ao programa a convite de amigos. Na rua, ele entregou um livro a uma senhora. “Estou gostando de tudo o que tenho feito aqui durante o dia. É informativo, envolvente e diferente de tudo aquilo que meus outros amigos fazem”, relata.

A secretária executiva Flávia Cândido, uma das coordenadoras que acompanhou 12 adolescentes, acredita que a amizade é um fator fundamental para ajudar os adolescentes a fortalecerem sua fé. “Eles estão em uma fase em que precisam tomar muitas decisões. E quando estão em um local com pessoas de sua confiança, isso contribui muito”, constata.

Para a professora Erleni Neves, diretora do departamento de Adolescentes para a região central do Paraná e organizadora do evento, os membros, que constituem a igreja, tem o dever de ajudá-los no dia a dia espiritual. “A amizade é uma influência que pode levá-los para a salvação ou perdição. Aqui eles conseguiram enxergar Jesus. Eles tiveram esse encontro e mostraram isso”, constata ao relatar que muitos já se decidiram pelo batismo.

veja também