Ana Laura: a história de ressurreição de uma recém-nascida

Ana Laura: a história de ressurreição de uma recém-nascida

Atualizado: Terça-feira, 3 Maio de 2011 as 11:36

Ana Laura perdeu todos os seus sinais vitais ao nascer. Nos primeiros segundos de vida, ela não conseguiu usar os seus pulmões. Filha dos pastores Edgar Martins e Angela Martins, da Renascer em Cristo Itu/SP, Ana Laura era o caso mais grave da UTI Neonatal de Sorocaba, no interior de São Paulo, e respirava apenas por aparelho, usava drenos para retirar líquido do pulmão e ar de outros órgãos. Ela passou por um tratamento que outras crianças não resistiram.

Após seis horas de procedimentos médicos, Edgar e Angela receberam a notícia e a sentença de morte da filha. “Houve uma pressão pulmonar muito grande na criança, seu pulmão não resistiu e se rompeu, entrando liquido no pulmão. Por conta disso, o coração e o cérebro incharam muito, gerando outros problemas. O quadro é muito grave e pode haver óbito a qualquer momento. Não esperem melhoras curtas, ela ficou muito tempo sem oxigênio e muitas sequelas são prováveis, mas não pensem nisso agora, se ela conseguir viver já é uma grande vitória”, sentenciou o médico.

Para piorar o quadro, Ana Laura havia ingerido fezes que estava no líquido amniótico.

Mas a sentença foi quebrada logo a seguir, através do apóstolo Estevam. “Os médicos falam do que eles veem, mas nós não andamos pelo que vemos, andamos pela fé no Senhor que opera milagres em nossas vidas”, disse por telefone, aos pais, que já possuem grandes marcas de milagres. No começo ministerial do casal, eles passaram pela África e Argentina, levando a mensagem de Jesus Cristo aos que estavam cativos.

“Em nosso espírito, cremos no milagre a ponto de mandar uma mensagem aos oficiais da igreja dizendo que ela tinha nascido no dia do aniversário do apóstolo Estevam e que estava tudo bem. Sentimos em nosso espírito que precisávamos deste ato de fé”, relata o pastor Edgar, que já possuía um memorial diante do Senhor.

“Dias depois, a cada teste que os médicos faziam, retirando uma medicação ou um aparelho verificando se ela reagiria bem, vinha o sinal de Deus a nosso favor e ela reagia de forma positiva”, diz a pastora Angela. Segundo ela, a unção que chegava à vida da Ana Laura, também alcançava outras crianças que estavam sem melhoras e há muito tempo na UTI. “A cura começou invadir aquele hospital”.

Trinta dias depois, Ana Laura recebeu alta hospitalar. “Descemos do Monte Sinai com a nossa filha nos braços”, declara o pastor Edgar.

Recentemente, nos últimos exames no hospital em Sorocaba, Ana Laura passou por vários exames para checar se havia alguma sequela. “Não foi constatada nenhuma anormalidade, e ela está curada e de toda sentença. Hoje, agradecemos ao nosso Deus que não muda, ao apóstolo Estevam e a bispa Sonia, nossos pais e exemplos em tudo. Ao bispo Marcos e a pastora Luciana, de Sorocaba, pelo acompanhamento e direção, e toda a igreja que se moveu, nos cobrindo de oração”, finaliza os pastores Edgar e Angela.  

veja também