Âncora da CNN deixa emprego para priorizar família: “Ninguém será mãe dos meus filhos”

Apesar de declarar o quanto ama seu trabalho, Christi disse que tudo apontou para a necessidade de tomar essa decisão.

Fonte: Guiame, com informações de FaithwireAtualizado: terça-feira, 28 de junho de 2022 13:55
Christi Paul. (Foto: Captura de tela/Vídeo CNN Twitter)
Christi Paul. (Foto: Captura de tela/Vídeo CNN Twitter)

Neste mês, a âncora de notícias da CNN, Christi Paul, se despediu das câmeras e dos espectadores, dizendo que está deixando seu cargo na emissora para priorizar marido e filhos. 

Aos 53 anos, a apresentadora do jornal “New Day Weekend”, disse que vai voltar para Ohio para assumir um novo cargo que ainda não foi revelado. 

Conforme o Faithwire,  a jornalista conta que ela e o marido começaram a reavaliar suas prioridades depois da pandemia. Ela explicou que o marido passou por um quadro de saúde grave após contrair Covid-19. 

Sobre sua decisão

“Passei por momentos difíceis durante algumas semanas e cheguei a pensar que criaria nossos filhos sozinha. A situação ficou pior quando tive que levá-lo ao hospital”, relatou. 

Apesar de declarar o quanto ama seu trabalho, Christi disse que tudo apontou para a necessidade de priorizar a família.

“Eu amo esse lugar e sou muito grata, mas estou tão cansada, tão exausta. Aos finais de semana, estamos aqui acordados entre 1h e 2h da madrugada, todos os sábados e domingos”, relatou.

“E eu simplesmente não tenho sido quem eu preciso ser para a minha família. Foi isso realmente o que aconteceu”, disse ao justificar sua decisão de deixar de ser apresentadora. 

“Ninguém vai ser mãe dos meus filhos”

A âncora disse também que estava “cansada de se sentir cansada” e por isso fez a melhor escolha pensando também em seus entes queridos. 

Ninguém mais vai ser a mãe dos meus filhos. E ninguém mais será a esposa do meu marido, nem a filha dos meus pais. Eu preciso estar totalmente presente”, disse em lágrimas.

A jornalista é cristã e falou abertamente sobre sua fé. Em 2013, ela escreveu o livro “O amor não deve machucar”, relatando sobre o abuso que já sofreu.

“Temos que ter a capacidade de ver a nós mesmos como Deus nos vê, não da forma como as pessoas nos descrevem”, disse na ocasião em que foi entrevistada pelo The 700 Club. 

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições