Após processo judicial, confeiteiros cristãos enviam bolos para organizações LGBT: "Gesto de amor"

"A idéia de enviar bolos me foi sugerida por um cineasta de Los Angeles, como um gesto de amor para com os homossexuais", disse Melissa Klein.

Fonte: Guiame, com informações do Charisma NewsAtualizado: sábado, 22 de agosto de 2015 18:03
Melissa e Aaron Klein decidiram enviar bolos a 10 organizações LGBT dos Estados Unidos. (Foto: Charisma News)
Melissa e Aaron Klein decidiram enviar bolos a 10 organizações LGBT dos Estados Unidos. (Foto: Charisma News)

Melissa e Aaron Klein decidiram enviar bolos a 10 organizações LGBT dos Estados Unidos.

Melissa Klein, a confeiteira do estado de Oregon (EUA) que se recusou a fazer um bolo para um casamento entre pessoas do mesmo sexo e foi multada em 135 mil dólares enviou alguns de seus bolos ​​para 10 das principais organizações LGBT dos Estados Unidos.

"A idéia de enviar bolos me foi sugerida por um cineasta de Los Angeles, como um gesto de amor para com os homossexuais", disse Klein. "Meu marido e eu temos sido vilipendiados como disseminadores de um discurso de ódio, mas nós não odiamos ninguém, queremos que as pessoas sigam felizes".

"Ray Comfort produziu um filme premiado que simboliza nossa atitude para com a comunidade LGBT - que os cristãos não são seus inimigos", continuou Klein. "Depois de ver isso, eu quis mandar uma cópia do filme para organizações LGBT e pedir-lhes que o assistissem".

Comfort, cujos filmes foram vistos por milhões de pessoas, disse: "Quando eu vi que Melissa Klein e seu marido, Aaron, tinham sido multados em 135 mil dólares por não fazerem um bolo para um casamento gay, eu quis dizer algo importante em sua defesa. Como Melissa, eu quero que a comunidade LGBT saiba que não somos seus inimigos".

O renomado cineasta e escritor usou uma analogia para ajudar a explicar como os Klein e outros empresários cristãos se sentem diante de situações como esta.

"Eu gostaria de perguntar aos acusadores de Melissa: Será que eles fariam um bolo para um casamento onde a carne de leão seria servida na recepção? Eu acho que a maioria dos protetores de animais não o faria - não por ódio ao casal, mas porque estariam tolerando algo que compromete suas convicções mais profundas. Eles simplesmente acreditam que comer carne de leão é moralmente errado", eplicou.

"Cristãos amam as pessoas homossexuais, mas dar apoio a um casamento entre pessoas do mesmo sexo pode comprometer profundamente as crenças de algumas pessoas".


Contexto

Recentemente, um caso parecido com o de Melissan ocorreu no Estado do Colorado. Em um processo que se arrastava desde 2012, o confeiteiro cristão Jack Phillips foi processado, após recusar-se a fazer um bolo para um casamento gay.

O Tribunal de Apelações do Colorado decidiu que Jack não pode recusar a prestação de um de seus serviços, em razão de sua crença religiosa.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições