Ariovaldo Ramos: "Vamos às ruas"

Ariovaldo Ramos: "Vamos às ruas"

Atualizado: Quarta-feira, 19 Junho de 2013 as 11:16

protestoOs fundadores do Movimento Cristão enfrentaram um protesto popular.
 
Eles tinham autoridade reconhecida, e o povo cristão tinha tudo em comum.
 
O povo entregava tudo aos fundadores, e eles administravam de forma a que todos fossem agraciados, segundo a necessidade de cada um.
 
Mas, com o crescimento do movimento, eles não conseguiam mais administrar com a eficácia necessária.
 
Houve um protesto popular.
 
Os fundadores pararam para ouvir aos manifestantes, e reconheceram a legitimidade do movimento.
 
Os fundadores, então, entregaram a administração dos fundos ao controle popular.
 
Livremente, os manifestantes elegeram aos seus representantes, e estes passaram a administrar o bem comum. E a justiça desejada foi alcançada.
 
O povo brasileiro está nas ruas.
 
O povo não quer ficar à deriva do poder, quer direcionar o poder.
 
O governo, como o fez a Presidenta, tem de admitir: o bem comum está sendo mal administrado.
 
O Estado tem de se abrir para o controle social.
 
Como? Isso tem de ser buscado. Uma forma deve haver.
 
O povo está certo: quem tem de estabelecer as prioridades é a população.
 
E mais, quem tem de ter controle sobre os gastos é a população, tudo tem de passar por controle social.
 
Se a Presidenta souber ler este mover popular, saberá que, agora, é a hora de fazer todas as reformas que todos sabemos que precisam ser feitas: política, tributária, jurídica, partidária, eleitoral.
 
O movimento não é contra alguém, o movimento é a favor do Brasil.
 
Não pode mais haver espaço para a corrupção, para a exploração, para que o bem seja de poucos, em detrimento da maioria. 
 
É o caso das tarifas do transporte público, que encarece sem ganhar nada de eficácia.
 
A FIFA diz que se continuar assim, não haverá COPA. 
 
Alguém tem de dizer a esta organização que não há governo mundial, que há Povo, há Leis e há Estado, e que isso não pode ser subvertido em nome de nada, muito menos em nome de eventos esporádicos, por mais internacionais que o sejam.
 
O povo está certo! Vamos todos às ruas! Democratas são os que reconhecem que todo o poder emana do povo e só para o bem do povo pode ser exercido.
 
 
- Ariovaldo Ramos
 

veja também