Arqueologia bíblica: turista descobre jarro de 5 mil anos no deserto da Judeia

O jarro estava bem preservado e vai ajudar a montar o quebra-cabeça arqueológico da Terra de Israel.

Fonte: Guiame, com informações de Jerusalem PostAtualizado: quinta-feira, 10 de março de 2022 15:02
Jarro de barro antigo descoberto na caverna 53 de Qumran, em fevereiro de 2022. (Foto: Reprodução/Facebook Israel Antiquities Authority/)
Jarro de barro antigo descoberto na caverna 53 de Qumran, em fevereiro de 2022. (Foto: Reprodução/Facebook Israel Antiquities Authority/)

O turista Robbie Brown estava em viagem com um amigo, em Qumran, no deserto da Judeia, quando encontrou um vaso de cerâmica antigo e bem preservado, nas imediações do Mar Morto. 

Em fevereiro, eles estavam escalando para examinar uma caverna conhecida como Cave 53. Assim que encontraram o vaso, informaram Yuval Baruch, responsável pela Autoridade de Antiguidades de Israel (IAA, na sigla em inglês).

O achado, que aconteceu praticamente por acaso, revelou um objeto que é do início da Idade do Bronze. De acordo com os arqueólogos, a peça pode ter uma idade aproximada de 5 mil anos. 

Quebra-cabeça arqueológico da Terra de Israel

Outro representante da IAA, Amir Ganor, se mostrou surpreso com a descoberta de Brown. “É incrível, pois há dois anos nossos arqueólogos pesquisaram a caverna e a intenção era localizar e documentar todos os achados antigos nas cavernas do deserto”, disse Ganor. 

Segundo ele, o vaso encontrado é de grande importância. “Em algumas cavernas foram encontrados apenas fragmentos de cerâmica, que evidenciam o início da Idade do Bronze”, continuou.

O turista não é estranho às descobertas arqueológicas em Israel. Em 2017, ele participou de uma escavação na mesma região, que resultou na descoberta de um antigo pergaminho em branco, além de antigas sementes de tâmaras e oliveiras. 

Ganor elogiou Brown por seu tratamento profissional na descoberta. “Ele está ciente da importância dos achados e de seu papel na conclusão do quebra-cabeça arqueológico da Terra de Israel”, disse ainda. 


Robbie Brown no local da descoberta. (Foto: Reprodução/Facebook Israel Antiquities Authority/Amir Ganor)

Sobre Qumran

Qumran, no deserto da Judéia, é uma área repleta de cavernas e tornou-se mundialmente famosa quando, por acaso, um beduíno descobriu os inestimáveis ​​Manuscritos do Mar Morto, em 1947. 

Devido à sua localização remota e ar seco, o deserto da Judéia contém uma alta concentração de artefatos antigos bem preservados. Ao longo dos anos, a região do deserto da Judéia atraiu um grande número de arqueólogos profissionais e apaixonados por arqueologia amadora como Brown. 

Arqueólogos e historiadores acreditam que centenas de judeus viveram na área de Qumran nos tempos antigos com base no número de edifícios descobertos e banhos rituais judaicos. 

Importância da arqueologia bíblica

Nos últimos anos, cada vez mais descobertas arqueológicas têm conseguido comprovar a veracidade dos relatos bíblicos, revelando cada vez mais detalhes sobre os fatos históricos. 

Cada descoberta como essa é celebrada por muitos cristãos como um conhecimento que pode ajudar a ilustrar os contextos desses relatos. E segundo o pesquisador Miguel Nicolaevsky, Deus tem propósitos ainda maiores nisso tudo, conforme matéria divulgada no Guiame, em abril de 2018. 

“A Arqueologia em Israel é algo impressionante. Creio que o objetivo pelo qual o Senhor permitiu seu surgimento é para mostrar aos céticos que não basta dizer que não creem e que não basta negar”, disse Miguel que é considerado uma autoridade em Arqueologia Bíblica, História de Israel e Hebraico Bíblico. 

O fundador do site Cafe Torah, disse que a arqueologia em Israel é um poderoso instrumento. “Já estamos no tempo do fim, em que muitas coisas que estavam ocultas, agora estão sendo reveladas”, enfatizou.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições