Associação católica abre ação criminal contra Porta dos Fundos

Associação católica abre ação criminal contra Porta dos Fundos

Atualizado: Quinta-feira, 16 Janeiro de 2014 as 8

Associação católica abre ação criminal contra Porta dos FundosNa tarde da última segunda-feira, foi protocolada no Ministério Público do Rio de Janeiro, uma ação criminal contra a produtora Porta Dos Fundos. A solicitante foi a Associação Nacional Pró-Vida e Pró-Família - entidade católica -, que alegou que o vídeo "Especial de Natal", publicado pela empresa no dia 23/12/2013 ofende "garantias e princípios constitucionais, mormente o princípio de tolerância e respeito à diversidade".
 
O vídeo apresenta um compilado de histórias bíblicas, satirizando personagens e o sentido original destas. O vídeo despertou a indignação dos cristãos em geral. Além da Associação, a psicóloga Marisa Lobo e a advogada Damares Alves também se posicionaram contra a produtora, propondo um abaixo-assinado.
 
Segundo o advogado da Associação Pró-Vida e Pró-Família, a fé e o sentimento religioso merecem respeito.
 
"O sentimento religioso deve ser respeitado. Não só católicos, mas nossos irmãos protestantes se sentiram aviltados", diz Paulo Fernando Melo, advogado e integrante da Associação Pró-Vida e Pró-Família.
 
Dom Odilo Scherer também expressou sua indignação em relação à atitude do Porta dos Fundos com um comentário em seu perfil oficial do Twitter.
 
"Será que isso é humor? Ou é intolerância religiosa travestida de humor? Péssimo mau gosto!", escreveu.
 
Em um vídeo, o pregador e missionário católico Anderson Reis pede que todos que se sentiram ofendidos de alguma forma pelo grupo acessem o site da Polícia Civil do Rio de Janeiro e registrem queixa contra crime de preconceito religioso.
 
Segundo a Associação argumentou na representação encaminhada ao Ministério Público, "a liberdade de expressão não pode ser utilizada como um escudo para atividades ilícitas e nitidamente tipificadas em nosso Código Penal, in casu, o vilipêndio público de ato ou objeto de culto religioso".
 
Outros vídeos publicados pela produtora - como "Adão", "Moda" e "Michelangelo" - são citados na representação como tentativa de escárnio da fé cristã.
 
A assessoria de imprensa do Porta dos Fundos informou que a produtora já se manifestou a respeito do assunto. O criador do site KibeLoco e também um dos idealizadores da produtora, Antonio Tabet, afirmou que não houve intenção do grupo em ofender nenhuma religião.
 
"A prova está em nossa equipe, na qual trabalham católicos, evangélicos, espíritas e até ateus", destacou.
 
Com informações da Folha.com / WWW.GUIAME.COM.BR

veja também