Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos chama de infeliz declarações de Serra

Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos chama de infeliz declarações de Serra

Atualizado: Terça-feira, 4 Maio de 2010 as 2:19

A Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (Atea) divulgou nesta segunda-feira uma nota na qual protesta contra as declarações do pré-candidato do PSDB à Presidência, José Serra, durante um evento evangélico no sábado, em Santa Catarina.

De acordo com a entidade, “a manifestação de Serra é infeliz e inapropriada”.

Na ocasião, o tucano compariu fumantes a ateus:

"A pessoa que fuma sabe que o cigarro vai fazer mal, mas continua assim mesmo. Depois, adoece e mesmo assim continua fumando. Assim é uma pessoa sem Deus. Sabe que Ele está ali, mas não o procura".

O presidente da Atea, Daniel Sottomaior, afirmou que tinha a esperança de que declarações como a de Serra fossem águas passadas:

"Ou ele (Serra) não acredita nisso e estava jogando para a plateia, ou ele acredita, o que é pior ainda. Como você vai esperar uma declaração tão flagrantemente preconceituosa de um candidato?"

Leia a nota na íntegra:

A Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (Atea) vem a público protestar contra a declaração do pré-candidato José Serra que compara ateus a fumantes.

Ao participar de evento religioso em Santa Catarina, o ex-governador afirmou que "a pessoa que fuma sabe que o cigarro vai fazer mal, mas continua assim mesmo.

Depois, adoece e mesmo assim continua fumando. Assim é uma pessoa sem Deus.

Sabe que Ele está ali, mas não o procura." A manifestação de Serra é infeliz e inapropriada em diversos níveis.

Em primeiro lugar, a frase revela desinformação, pois ao contrário do que Serra imagina, os ateus não "sabem" que o deus do monoteísmo ocidental "está ali":

Somos ateus precisamente porque analisamos as evidências e argumentos em favor de sua existência, e entendemos que eles não se sustentam. Afirmar que em verdade somos teístas é zombar de nossas convicções pessoais que resultaram de análise profunda e cuidadosa. Significa menosprezar quem somos e como nos definimos, negando nossa própria existência como ateus.

A frase ainda é insultuosa porque iguala uma convicção filosófica a uma doença.

Para Serra, não apenas somos incompetentes e contraditórios como ateus, mas somos como doentes: indivíduos que precisam de tratamento e de leis que protejam os demais contra a influência perniciosa de nossas atividades.

Por fim, a declaração também é preconceituosa por fazer uma generalização negativa que atinge rigorosamente a todos os ateus e avilta o caráter laico da república que ele pretende governar. Se ganhar a eleição, Serra será presidente tanto de teístas como de ateus e agnósticos, e não parece haver nele qualquer disposição de reconhecer ateus e agnósticos em pé de igualdade com seus compatriotas teístas.

Aparentemente, seremos cidadãos de segunda categoria, nada mais do que teístas envergonhados e birrentos.

A afirmação de Serra não apenas denigre a todos os ateus. Recebemos a rejeição absoluta que é a negação de nossa própria existência. Esse tipo de comportamento é inadmissível em qualquer cidadão civilizado, quanto mais de um pretendente ao cargo mais alto da nação. O contexto sugere que Serra teria feito esse tipo de declaração para satisfazer uma plateia que ele aparentemente imaginava ser tão preconceituosa quanto ele, o que é ainda mais embaraçoso.

A Atea é uma associação civil sem fins lucrativos com mais de mil membros que tem entre seus objetivos a luta contra o preconceito e a desinformação a respeito do ateísmo e do agnosticismo, dos ateus e dos agnósticos.

O IBGE se recusa a divulgar dados referentes ao ateísmo no país, mas de acordo com diversas pesquisas particulares, sabe-se que representamos aproximadamente de 2% da população, ou cerca de 4 milhões de brasileiros.

A declaração de Serra exige reparo amplo e imediato em respeito a esses milhões de ateus brasileiros e às centenas de milhões de ateus no mundo.

Postado por: Cristiano Bitencourt

veja também