Aumenta no Brasil o nomadismo entre movimentos religiosos

Aumenta no Brasil o nomadismo entre movimentos religiosos

Atualizado: Quinta-feira, 19 Maio de 2011 as 11:03

No dia 10 de maio, foi lançado em São Paulo o livro Mochileiros da Fé. De autoria de Ricardo Bitun, professor da Escola Superior de Teologia do Mackenzie, a obra analisa as características de movimentos pentecostais que surgiram no Brasil nas últimas décadas e a peregrinação dos fiéis de um movimento para outro.

Segundo Ricardo Bitun, o “nomadismo religioso” entre igrejas pentecostais é consequência da perda de importância da religião no cotidiano dos fiéis. “As decisões da população não passam mais pela tradição nem pela doutrina e sim por uma opção racional de seus desejos. A conseqüência mais visível é que a religião torna-se apenas um produto a ser consumido pelo ‘fiel consumidor’ religioso”, destaca.

A troca constante de religião, segundo o autor, é fruto de um comportamento cada vez mais individualista das pessoas. “Não há mais porque crer ou ainda dar-se a este ou aquele credo, a esta ou aquela denominação. Apenas prevalece o interesse individualista e egoísta de cada fiel”. Essa característica, de acordo com o autor, traz novas configurações paras as religiões no País.

Diante dessa realidade é que Ricardo Bitun decidiu pesquisar os “mochileiros da fé” e elaborar uma obra específica desse movimento. “Avaliar o chamado nomadismo religioso em São Paulo entre as igrejas neopentecostais foi o meu principal objetivo. A ideia surgiu de parte da minha tese de doutorado, quando me perguntava qual seria a razão da migração constante de fiéis entre as igrejas”.

Para Bitun, compreender esse fenômeno é repensar as igrejas a partir de sua realidade contemporânea.

A obra é direcionada para todo tipo de público, independentemente da orientação religiosa.

veja também