Autoridades do Norte do Brasil dão apoio para campanha Quebrando o Silêncio

Autoridades do Norte do Brasil dão apoio para campanha Quebrando o Silêncio

Atualizado: Quinta-feira, 14 Outubro de 2010 as 10:56

Na associação Amazonas Roraima, o "Quebrando o Silêncio” se tornou um projeto muito bem planejado pelas igrejas e esperado pela sociedade. A cada ano o movimento na ruas é maior, através de passeatas e concentrações em praças públicas. A campanha também vem sendo apreciada por um maior número de pessoas e tem sido cada vez mais respeitada por órgãos tutelares, autoridades responsáveis e destaques nas principais mídias locais.

Neste ano, no dia 28 de agosto, cada distrito da AAmaR buscou cumprir o programa sugerido pela Divisão Sul-Americana e União Noroeste Brasileira.  Sobre a campanha, foram distribuídos 35 mil folhetos, cinco mil revistas para crianças, mil revistas para adultos, 500 cartazes e 600 sermonários em todo o campo. Pela manhã as líderes do Ministério da Mulher ministraram o sermão sobre o tema e a tarde realizaram atividades sociais nas comunidades.

A líder do Ministério da Mulher da AAmaR, Elma Matos, pode acompanhar algumas das mobilizações na capital amazonense. Pela manhã esteve pregando na igreja de Amazonino VI e depois fez um giro em outras igrejas.  Elma vestiu a camisa da campanha "Enditnow" que mundialmente significa "Acabe com isso agora, diga Não" ao abuso e violência contra crianças e mulheres, para confirmar o objetivo desta campanha.

A tarde idealizou uma mega passeata na zona leste de Manaus, reunindo cerca de mil pessoas.  Esta iniciativa foi organizada pelas esposas de pastores e líderes do MM desta região. Entre as autoridades presentes esteve o Secretário de Educação de Manaus, Vicente Nogueira, que prestigiou o evento e parabenizou a iniciativa da igreja adventista.

Outras igrejas também impactaram os bairros. A igreja Central da AAmaR, por exemplo, saiu pelas ruas com cartazes em favor da "Não violência dentro do lar".

No interior do Amazonas também houve movimentações. No município de Humaitá, há 675 km de Manaus, ou seja, três dias de barco, a passeata foi planejada com antecedência. Houve a entrega de convites para todas as instituições de ensino, órgãos públicos, autoridades religiosas, públicas e empresariais e comunidade. Em todo o trajeto da passeata os policias seguiram acompanhando a multidão e o carro de som. Houve a presença do Pelotão da Guarda-mirim onde o comandante teceu elogios ao dizer: "Esta passeata sobre este assunto é muito importante e vocês precisam repetir esta passeata todos os anos e desde já fazer os preparativos para a próxima, contando com o nosso apoio".

Segundo a esposa do pastor Josiel Souza, do distrito de Humaitá (AM), Débora Souza, coordenadora do Ministério da Mulher para 11 congregações nesta região, durante a passeata participaram irmãos adventistas e afastados da igreja, o que proporcionou o reencontro entre amigos.

Em outro município nas proximidades de Humaitá, Manicoré, localizado a 390km de Manaus (AM), houve uma passeata com mais de 500 pessoas. As líderes do evento relataram que a caminhada impactou a cidade onde aproveitaram a oportunidade para entregar folhetos que incentivaram a denunciar o abuso e a violência doméstica.

Houve palestras de convidados especiais como do Conselho Tutelar, da Ong Hands do Brasil, assistentes sociais e peças lúdicas sobre o assunto em pauta. Como fruto desta iniciativa, a Igreja Adventista foi convidada a participar das festividades Cívicas de 7 de setembro, para reforçar o tema sobre a defesa em favor das mulheres. Elas representaram a senhora Maria da Penha, participaram de entrevistas em programa de rádio sobre o assunto e receberam convites para realizar palestras nas escolas do município.  

veja também