Batista: Igreja do EUA não está em problema

Batista: Igreja do EUA não está em problema

Atualizado: Sexta-feira, 25 Junho de 2010 as 4:25

Há um grande acordo de ansiedade e medo de que a Igreja dos EUA está em problemas, que não está mais crescendo enquanto lá fora estão, e que menos e menos missionários Norte-americanos estão sendo despachados, disse o líder Batista.

Mas Rob Nash, coordenador de Missões Globais na Cooperative Baptist Fellowship, não está preocupado.

"Eu estou convencido que o que nós estamos testemunhando hoje não é a perda de paixão pelas missões, mas antes, um movimento poderoso do Espírito Santo pelo mundo, cuja expressão é tão vastamente diferente que nós podemos às vezes, raramente reconhecer," disse ele na quarta-feira, na Assembléia Geral em Charlotte, Carolina do Norte.

"Eu sugeriria que nós como Igreja Norte-americana estão bem no centro disso, finalmente derramando as roupas velhas da Cristandade e religião civil e exclusividade que tem nos mantido de volta e explodido em um novo paradigma de globalização e engajamento cross-cultural que está verdadeiramente transformando e nos moldando."

Seu discurso foi feito como 16 novos campos pessoais que foram comissionados para serviços de missão tempo integral. Os novos missionários irão servir em países como a República do Czech, Filipinas, Haiti, Chile e áfrica do Sul.

Eles foram comissionados, contudo, no período em que as doações para as Missões Globais estiveram baixas. Até o momento, o fornecimento aos fundos das Missões é de 29 por cento atrás do orçamento, como relatado pela Associated Press. Se o fornecimento não aumentar, a CBF pode ser forçada a trazer os missionários de volta dos campos.

"As pessoas estão sempre dizendo 'Por que você não nomea mais missionários financiados?' O fato é que nós não temos dinheiro,"disse o Coordenador Executivo da CBF, Daniel Vestal, de acordo com ABP.

Vestal notou que cada centavo que é dado para as Oferendas para as Missões Globais vão para os missonários ou o ministério de um missionário.

Apesar dos desafios financeiros, Nash celebrou os mais novos e chamados missionários.

E ele expressou entusiasmo para os novos meios que Deus está trabalhando.

"Eu não penso que nós estamos (Igreja EUA) em problemas," disse Naxh. "Eu penso que nós estamos aprendendo ... como trabalhar juntos com a Igreja global, como superar exclusividade, como ouvir."

As Igrejas da CBF e a Igreja Norte-americana como um todo não estão postas às margens do que Deus está fazendo no mundo, disse ele, mas "bem no centro."

Mas ele os relembrou, "Deus não cuida do que as Missões Globais CBF estão fazendo e sobre o que a congregação está fazendo. Deus cuida do que Deus está fazendo e sobre como nós podemos vir juntos como povo de Deus em que Deus está fazendo no mundo."

A Assembléia Geral da CBF conclui Sábado. A CBF, de Atlanta, é formada por indivíduos e aproximadamente 1.900 Igrejas afiliadas.

veja também