Batistas dão resposta de amor ao Japão

Batistas dão resposta de amor ao Japão

Atualizado: Terça-feira, 22 Março de 2011 as 11:20

Os batistas estão respondendo com compaixão ao terremoto seguido de tsunami que atingiu o Japão no dia 11 de março e que deixou mais de 4.300 mortos segundo informações do Governo local divulgados no dia 16 de março.

Apesar da letalidade do tremor, que danificou a estrutura de algumas usinas nucleares japonesas (o que criou o temor de que houvesse vazamento de material radioativo), os missionários da Junta de Missões Mundiais que atuam no país estão bem.

Apoio a vítimas

O apoio dos batistas ao povo japonês está sendo prestado através da Aliança Batista Mundial (BWA, sigla em inglês), aliança à qual a Convenção Batista Brasileira (CBB) é filiada.Logo após os tremores, o secretário geral da BWA, Neville Callam, afirmou que enviou cartas de apoio e solidariedade aos membros da organização que estão no país do leste asiático. Nelas Callam expressou sua preocupação com a população do Japão e informou aos batistas do país que a BWA irá oferecer as respostas adequadas ao desastre. “Fui informado, com profunda preocupação, da devastação causada pelo terremoto e posterior tsunami que atingiram seu país”, escreveu Callam. “Escrevo, em nome da Aliança Batista Mundial, para expressar nossa solidariedade em relação a vocês neste momento e para oferecer a vocês a certeza das nossas orações por todas as pessoas atingidas”, declarou.

Além disso, uma equipe de resgate da Aliança Batista Mundial, composta por pessoas da Hungria, de Cingapura e dos Estados Unidos, seguiu para a área de desastre para se juntar aos batistas locais em seu esforço de resgate e apoio. Uma das missões da equipe é a de avaliar as necessidades e exigências considerando o futuro envio de novos membros para a equipe no país e de mais suprimentos.

A BWA foi informada que a Convenção Batista do Japão estava realizando um workshop no momento do terremoto. “O grupo estava realizando o seu culto de enceramento quando sentiu os fortes tremores do terremoto”, informou Claudia Sherer, que está no Japão. “Muitos dos participantes do encontro ficaram impedidos de retornar para suas casas, pois o transporte naquela região estava parado. Assim seguiram para o prédio da convenção, onde ficaram seguros”, afirmou.

Naquele mesmo dia “milhares de pessoas ficaram retidas em estações de trem e em outros lugares durante a noite. Outras ficaram em centros de ajudas, escolas e prédios públicos, enquanto outras ficaram no frio ou perdidas. Assim, o povo do Japão necessita de orações”, afirmou Sherer.

No Japão há quatro organizações filiadas à Aliança Batista Mundial: A Conferência Batista do Japão, a Convenção Batista do Japão, a União Batista do Japão e Convenção Batista de Okinawa, que jutas têm um total de 42 mil membros e mais de 450 igrejas.

Como forma de ajudar os japoneses, a BWA iniciou uma campanha para coleta de donativos.

Missionários brasileiros

Diante de uma situação tão delicada, a preocupação em relação aos missionários brasileiros que atuam na região foi grande. Contudo, logo após o tremor o gerente de Missões Mundiais, pastor Lauro Mandira, conseguiu falar com um dos missionários naquele país, o pastor Fernando Félix.

Por meio deste obreiro foi possível obter informações sobre o estado de saúde dos missionários após a tragédia. Graças a Deus, a família Félix está bem. A região na qual mora, no centro do Japão, não foi atingida. O pastor Fernando disse ainda que o missionário e pastor Hélio Miúra e sua família também passam bem, apesar de residirem mais próximos ao litoral.

Terremoto e tsunami

O terremoto de magnitude 8,9 foi apenas o ponto inicial de uma série de eventos que levaram a população japonesa a enfrentar uma das maiores crises de sua história. Como consequência direta do forte tremor, considerado o 7° pior da história, o Japão também foi atingido por um forte tsunami que contou com ondas de até 10 metros de altura.

No entanto, além disso a população japonesa está tendo que lidar com uma crise nuclear, resultante de problemas em usinas nucleares causados pelos tremores e pelo tsunami.

A consequência desta situação catastrófica são, como afirmado anteriormente, mais de 4.300 mortos, cidades destruídas e prejuízos totais da ordem de US$ 200 bilhões.

Que os batistas brasileiros, mesmo apesar da distância, possam se envolver com o povo japonês, a começar em oração.  

veja também