Bem votado na Câmara, pastor afirma que se elegeu sem apoio de seu partido

Bem votado na Câmara, pastor afirma que se elegeu sem apoio de seu partido

Atualizado: Quarta-feira, 6 Outubro de 2010 as 4:20

O deputado federal e até então desconhecido Pastor Eurico, conseguiu a façanha de ultrapassar nas urnas nomes tradicionais e de peso da política pernambucana. O socialista chegará à Câmara Federal em 2011 com a marca de 185.870 votos (quinto colocado entre os 25), perdendo apenas para Inocêncio Oliveira (PR), João Paulo (PT), Eduardo da Fonte (PP) e Ana Arraes (PSB).

Nessa entrevista ao Blog da Folha, por telefone, o religioso repetiu diversas vezes que iria se pronunciar apenas via e-mail. Mas durante aproximadamente 11 minutos, o pastor da Assembleia de Deus falou sobre alguns temas e fugiu de outros. Tempo suficiente para afirmar que foi eleito sem o apoio do PSB. "Nem no partido, acho que não acreditaram, porque não deram nem uma folhinha, nem um santinho como diz a história. Um centavo sequer". A seguir a entrevista:

O senhor foi eleito com uma votação superior a muitos nomes tradicionais da política. A que se deve isso?

O povo aí bota pra quebrar. Não acreditaram na gente. Nem no partido, acho que não acreditaram, porque não deram nem uma folhinha, nem um santinho como diz a história. Um centavo sequer. Não houve nada. Fomos eleitos com a cara e a coragem. A nossa prestação de contas já está na internet. Como é que pode ser eleitos praticamente numa dobradinha (com Presbítero Adalto) com valores tão insignificantes?

Quanto foi gasto na sua campanha para federal?

R$ 205 mil foi o meu gasto para deputado federal. Ninguém acreditava. Quando estouram as urnas... Muita gente dizia pra mim: 'você não chega nem perto. Só se ganha eleição com dinheiro'. Estamos agora no momento evitando a imprensa de mídia. Somos frutos de um projeto interno de uma denominação (Assembleia de Deus). Estamos apenas atendendo por e-mail. Muitos usam de má fé e podem nos complicar.

Por que esse temor em se expor na mídia?

Não estamos nos pronuciando. Seguimos orientação do partido. Estamos aguardando a posição do partido. Pediram para todo mundo não viajar. A nossa igreja, meu amigo, ninguém quer derrotar ninguém. O voto é livre. O que nós precisamos ter é uma representação. Não houve nenhum voto a titulo de coação. Tudo foi livre e espontâneo. Na questão presidencial está todo mundo livre para votar em quem quiser.

E o senhor vota em Dilma Rousseff?

O nosso posicionamento concernente ao segundo turno, não nos pronunciamos. Vamos primeiro ter a orientação do partido, da presidência, do governador (Eduardo Campos). Temos ainda a questão interna. Não envolvemos a igreja. Teve gente que votou em José Serra, em Dilma, Marina Silva...

Insisto, o senhor votou em quem?

É uma questão muito pessoal. Não falo

Fachada da igreja do Pastor Eurico, considerada a "legítima" Assembleia

Recentemente, grupos evangélicos, inclusive membros da Assembleia de Deus, lançaram manifesto contra o PT e o presidente Lula. Como o senhor vê essa questão?

Vale salientar que o nome Assembleia de Deus não é patenteado. Como a Igreja Batista, Prebisteriana... Muita gente abre Assembleia de Deus por aí. A nossa, que é histórica em Pernambuco com quase 100 anos, não participou de nada disso. Não tem nenhum pastor nosso lá. O pastor Cleiton Collins (Deputado estadual reeleito pelo PSC) é da Assembleia de Deus que não é a nossa. Talvez a gente pense até igual, mas a forma de agir é diferente. Não entramos em brigas. Cada um faça a sua parte.

Qual a sua principal bandeira política?

Acho que o povo quer mudanças, meu amigo. Meus votos não foram só da Assembleia de Deus, lembre-se disso. Foram de outras igrejas e de muita gente não evangélica. Católicos, espíritas e de todos os segmentos da sociedade. O povo tem observado o trabalho da nossa igreja. Lamentavelmente, a miscigenação de igrejas são muitas. Hoje temos só em Pernambuco mais de mil denominações. Só da Assembleia de Deus existem em Pernambuco umas 200 e não é a nossa igreja. Em virtude dessa miscigenação, já fui até chamado de pastor da Universal do Reino de Deus.

Qual a sua profissão além de exercer o trabalho na igreja?

Sou pastor da igreja.

O deputado federal e até então desconhecido Pastor Eurico, conseguiu a façanha de ultrapassar nas urnas nomes tradicionais e de peso da política pernambucana. O socialista chegará à Câmara Federal em 2011 com a marca de 185.870 votos (quinto colocado entre os 25), perdendo apenas para Inocêncio Oliveira (PR), João Paulo (PT), Eduardo da Fonte (PP) e Ana Arraes (PSB).

Nessa entrevista ao Blog da Folha, por telefone, o religioso repetiu diversas vezes que iria se pronunciar apenas via e-mail. Mas durante aproximadamente 11 minutos, o pastor da Assembleia de Deus falou sobre alguns temas e fugiu de outros. Tempo suficiente para afirmar que foi eleito sem o apoio do PSB. "Nem no partido, acho que não acreditaram, porque não deram nem uma folhinha, nem um santinho como diz a história. Um centavo sequer". A seguir a entrevista:

O senhor foi eleito com uma votação superior a muitos nomes tradicionais da política. A que se deve isso?

O povo aí bota pra quebrar. Não acreditaram na gente. Nem no partido, acho que não acreditaram, porque não deram nem uma folhinha, nem um santinho como diz a história. Um centavo sequer. Não houve nada. Fomos eleitos com a cara e a coragem. A nossa prestação de contas já está na internet. Como é que pode ser eleitos praticamente numa dobradinha (com Presbítero Adalto) com valores tão insignificantes?

Quanto foi gasto na sua campanha para federal?

R$ 205 mil foi o meu gasto para deputado federal. Ninguém acreditava. Quando estouram as urnas... Muita gente dizia pra mim: 'você não chega nem perto. Só se ganha eleição com dinheiro'. Estamos agora no momento evitando a imprensa de mídia. Somos frutos de um projeto interno de uma denominação (Assembleia de Deus). Estamos apenas atendendo por e-mail. Muitos usam de má fé e podem nos complicar.

Por que esse temor em se expor na mídia?

Não estamos nos pronuciando. Seguimos orientação do partido. Estamos aguardando a posição do partido. Pediram para todo mundo não viajar. A nossa igreja, meu amigo, ninguém quer derrotar ninguém. O voto é livre. O que nós precisamos ter é uma representação. Não houve nenhum voto a titulo de coação. Tudo foi livre e espontâneo. Na questão presidencial está todo mundo livre para votar em quem quiser.

E o senhor vota em Dilma Rousseff?

O nosso posicionamento concernente ao segundo turno, não nos pronunciamos. Vamos primeiro ter a orientação do partido, da presidência, do governador (Eduardo Campos). Temos ainda a questão interna. Não envolvemos a igreja. Teve gente que votou em José Serra, em Dilma, Marina Silva...

Insisto, o senhor votou em quem?

É uma questão muito pessoal. Não falo

Fachada da igreja do Pastor Eurico, considerada a "legítima" Assembleia

Recentemente, grupos evangélicos, inclusive membros da Assembleia de Deus, lançaram manifesto contra o PT e o presidente Lula. Como o senhor vê essa questão?

Vale salientar que o nome Assembleia de Deus não é patenteado. Como a Igreja Batista, Prebisteriana... Muita gente abre Assembleia de Deus por aí. A nossa, que é histórica em Pernambuco com quase 100 anos, não participou de nada disso. Não tem nenhum pastor nosso lá. O pastor Cleiton Collins (Deputado estadual reeleito pelo PSC) é da Assembleia de Deus que não é a nossa. Talvez a gente pense até igual, mas a forma de agir é diferente. Não entramos em brigas. Cada um faça a sua parte.

Qual a sua principal bandeira política?

Acho que o povo quer mudanças, meu amigo. Meus votos não foram só da Assembleia de Deus, lembre-se disso. Foram de outras igrejas e de muita gente não evangélica. Católicos, espíritas e de todos os segmentos da sociedade. O povo tem observado o trabalho da nossa igreja. Lamentavelmente, a miscigenação de igrejas são muitas. Hoje temos só em Pernambuco mais de mil denominações. Só da Assembleia de Deus existem em Pernambuco umas 200 e não é a nossa igreja. Em virtude dessa miscigenação, já fui até chamado de pastor da Universal do Reino de Deus.

Qual a sua profissão além de exercer o trabalho na igreja?

Sou pastor da igreja.

O deputado federal e até então desconhecido Pastor Eurico, conseguiu a façanha de ultrapassar nas urnas nomes tradicionais e de peso da política pernambucana. O socialista chegará à Câmara Federal em 2011 com a marca de 185.870 votos (quinto colocado entre os 25), perdendo apenas para Inocêncio Oliveira (PR), João Paulo (PT), Eduardo da Fonte (PP) e Ana Arraes (PSB).

Nessa entrevista ao Blog da Folha, por telefone, o religioso repetiu diversas vezes que iria se pronunciar apenas via e-mail. Mas durante aproximadamente 11 minutos, o pastor da Assembleia de Deus falou sobre alguns temas e fugiu de outros. Tempo suficiente para afirmar que foi eleito sem o apoio do PSB. "Nem no partido, acho que não acreditaram, porque não deram nem uma folhinha, nem um santinho como diz a história. Um centavo sequer". A seguir a entrevista:

O senhor foi eleito com uma votação superior a muitos nomes tradicionais da política. A que se deve isso?

O povo aí bota pra quebrar. Não acreditaram na gente. Nem no partido, acho que não acreditaram, porque não deram nem uma folhinha, nem um santinho como diz a história. Um centavo sequer. Não houve nada. Fomos eleitos com a cara e a coragem. A nossa prestação de contas já está na internet. Como é que pode ser eleitos praticamente numa dobradinha (com Presbítero Adalto) com valores tão insignificantes?

Quanto foi gasto na sua campanha para federal?

R$ 205 mil foi o meu gasto para deputado federal. Ninguém acreditava. Quando estouram as urnas... Muita gente dizia pra mim: 'você não chega nem perto. Só se ganha eleição com dinheiro'. Estamos agora no momento evitando a imprensa de mídia. Somos frutos de um projeto interno de uma denominação (Assembleia de Deus). Estamos apenas atendendo por e-mail. Muitos usam de má fé e podem nos complicar.

Por que esse temor em se expor na mídia?

Não estamos nos pronuciando. Seguimos orientação do partido. Estamos aguardando a posição do partido. Pediram para todo mundo não viajar. A nossa igreja, meu amigo, ninguém quer derrotar ninguém. O voto é livre. O que nós precisamos ter é uma representação. Não houve nenhum voto a titulo de coação. Tudo foi livre e espontâneo. Na questão presidencial está todo mundo livre para votar em quem quiser.

E o senhor vota em Dilma Rousseff?

O nosso posicionamento concernente ao segundo turno, não nos pronunciamos. Vamos primeiro ter a orientação do partido, da presidência, do governador (Eduardo Campos). Temos ainda a questão interna. Não envolvemos a igreja. Teve gente que votou em José Serra, em Dilma, Marina Silva...

Insisto, o senhor votou em quem?

É uma questão muito pessoal. Não falo

Fachada da igreja do Pastor Eurico, considerada a "legítima" Assembleia

Recentemente, grupos evangélicos, inclusive membros da Assembleia de Deus, lançaram manifesto contra o PT e o presidente Lula. Como o senhor vê essa questão?

Vale salientar que o nome Assembleia de Deus não é patenteado. Como a Igreja Batista, Prebisteriana... Muita gente abre Assembleia de Deus por aí. A nossa, que é histórica em Pernambuco com quase 100 anos, não participou de nada disso. Não tem nenhum pastor nosso lá. O pastor Cleiton Collins (Deputado estadual reeleito pelo PSC) é da Assembleia de Deus que não é a nossa. Talvez a gente pense até igual, mas a forma de agir é diferente. Não entramos em brigas. Cada um faça a sua parte.

Qual a sua principal bandeira política?

Acho que o povo quer mudanças, meu amigo. Meus votos não foram só da Assembleia de Deus, lembre-se disso. Foram de outras igrejas e de muita gente não evangélica. Católicos, espíritas e de todos os segmentos da sociedade. O povo tem observado o trabalho da nossa igreja. Lamentavelmente, a miscigenação de igrejas são muitas. Hoje temos só em Pernambuco mais de mil denominações. Só da Assembleia de Deus existem em Pernambuco umas 200 e não é a nossa igreja. Em virtude dessa miscigenação, já fui até chamado de pastor da Universal do Reino de Deus.

Qual a sua profissão além de exercer o trabalho na igreja?

Sou pastor da igreja.

O deputado federal e até então desconhecido Pastor Eurico, conseguiu a façanha de ultrapassar nas urnas nomes tradicionais e de peso da política pernambucana. O socialista chegará à Câmara Federal em 2011 com a marca de 185.870 votos (quinto colocado entre os 25), perdendo apenas para Inocêncio Oliveira (PR), João Paulo (PT), Eduardo da Fonte (PP) e Ana Arraes (PSB).

Nessa entrevista ao Blog da Folha, por telefone, o religioso repetiu diversas vezes que iria se pronunciar apenas via e-mail. Mas durante aproximadamente 11 minutos, o pastor da Assembleia de Deus falou sobre alguns temas e fugiu de outros. Tempo suficiente para afirmar que foi eleito sem o apoio do PSB. "Nem no partido, acho que não acreditaram, porque não deram nem uma folhinha, nem um santinho como diz a história. Um centavo sequer". A seguir a entrevista:

O senhor foi eleito com uma votação superior a muitos nomes tradicionais da política. A que se deve isso?

O povo aí bota pra quebrar. Não acreditaram na gente. Nem no partido, acho que não acreditaram, porque não deram nem uma folhinha, nem um santinho como diz a história. Um centavo sequer. Não houve nada. Fomos eleitos com a cara e a coragem. A nossa prestação de contas já está na internet. Como é que pode ser eleitos praticamente numa dobradinha (com Presbítero Adalto) com valores tão insignificantes?

Quanto foi gasto na sua campanha para federal?

R$ 205 mil foi o meu gasto para deputado federal. Ninguém acreditava. Quando estouram as urnas... Muita gente dizia pra mim: 'você não chega nem perto. Só se ganha eleição com dinheiro'. Estamos agora no momento evitando a imprensa de mídia. Somos frutos de um projeto interno de uma denominação (Assembleia de Deus). Estamos apenas atendendo por e-mail. Muitos usam de má fé e podem nos complicar.

Por que esse temor em se expor na mídia?

Não estamos nos pronuciando. Seguimos orientação do partido. Estamos aguardando a posição do partido. Pediram para todo mundo não viajar. A nossa igreja, meu amigo, ninguém quer derrotar ninguém. O voto é livre. O que nós precisamos ter é uma representação. Não houve nenhum voto a titulo de coação. Tudo foi livre e espontâneo. Na questão presidencial está todo mundo livre para votar em quem quiser.

E o senhor vota em Dilma Rousseff?

O nosso posicionamento concernente ao segundo turno, não nos pronunciamos. Vamos primeiro ter a orientação do partido, da presidência, do governador (Eduardo Campos). Temos ainda a questão interna. Não envolvemos a igreja. Teve gente que votou em José Serra, em Dilma, Marina Silva...

Insisto, o senhor votou em quem?

É uma questão muito pessoal. Não falo

Fachada da igreja do Pastor Eurico, considerada a "legítima" Assembleia

Recentemente, grupos evangélicos, inclusive membros da Assembleia de Deus, lançaram manifesto contra o PT e o presidente Lula. Como o senhor vê essa questão?

Vale salientar que o nome Assembleia de Deus não é patenteado. Como a Igreja Batista, Prebisteriana... Muita gente abre Assembleia de Deus por aí. A nossa, que é histórica em Pernambuco com quase 100 anos, não participou de nada disso. Não tem nenhum pastor nosso lá. O pastor Cleiton Collins (Deputado estadual reeleito pelo PSC) é da Assembleia de Deus que não é a nossa. Talvez a gente pense até igual, mas a forma de agir é diferente. Não entramos em brigas. Cada um faça a sua parte.

Qual a sua principal bandeira política?

Acho que o povo quer mudanças, meu amigo. Meus votos não foram só da Assembleia de Deus, lembre-se disso. Foram de outras igrejas e de muita gente não evangélica. Católicos, espíritas e de todos os segmentos da sociedade. O povo tem observado o trabalho da nossa igreja. Lamentavelmente, a miscigenação de igrejas são muitas. Hoje temos só em Pernambuco mais de mil denominações. Só da Assembleia de Deus existem em Pernambuco umas 200 e não é a nossa igreja. Em virtude dessa miscigenação, já fui até chamado de pastor da Universal do Reino de Deus.

Qual a sua profissão além de exercer o trabalho na igreja?

Sou pastor da igreja.

veja também