Bíblia: campeã de leitura entre brasileiros

Bíblia: campeã de leitura entre brasileiros

Atualizado: Quarta-feira, 1 Abril de 2009 as 12

A Bíblia segue como o livro mais lido no Brasil. É o que revela pesquisa Retratos da Leitura no Brasil 2008, encomendada pelo Instituto Pró-Livro ao Observatório do Livro e da Leitura.

Os outros milhares de livros cristãos ficam muito atrás. Foram 5.012 entrevistados, abrangendo um conjunto de 172 milhões de pessoas - 92% da população. Um total de 6,9 milhões de brasileiros estariam lendo a Bíblia no momento da pesquisa, número 18 vezes maior do que o livro que aparece na segunda colocação, a ficção O Código Da Vinci, do inglês Dan Brown.

A Bíblia também ficou na frente como "gênero" mais lido (45% dos leitores) e foi citada como "livro mais importante da vida" dos entrevistados. Mesmo entre os "não leitores", a Bíblia teria sido a última leitura de 4,5 milhões de pessoas.

Esses números não surpreendem o pastor luterano Erní Seibert, de 55 anos, secretário de Comunicação da SBB. "Não há outro livro mais lido e distribuído, com tantos grupos que se reúnam para lê-lo ou estudá-lo toda semana. É livro de referência diária para o cristão", diz.

Há bíblias para todos os gostos. Desde as populares, de R$ 7 - mais barato que muitos lanches de fast-food -, às edições de estudo ou luxuosas, que custam mais de R$ 150.

Erní Seibert, secretário de Comunicação da Sociedade Bíblica do Brasil, a SBB

Mas ainda há muita gente que vê as Escrituras com preconceito. "É o 'não li e não gostei'", observa Erní Seibert, secretário de Comunicação da Sociedade Bíblica do Brasil, a SBB, que também é pastor luterano. "As pessoas não têm noção da importância cultural da Bíblia, o primeiro livro a ser impresso na história", argumenta. Para atingir esse público, a SBB monta exposições e conta com um museu em Barueri (SP), onde fica sua sede, e com um centro cultural no Rio de Janeiro. E como a Bíblia não é exatamente um livro fácil de ler, a editora se dedica também a publicar versões com a linguagem mais simples. A Nova Tradução na Linguagem de Hoje usa cerca de quatro mil palavras, metade dos vocábulos empregados na tradução de João Ferreira de Almeida. O que se perde em beleza poética, ganha-se em facilidade de compreensão. Para se ter uma idéia, em 2007 foram distribuídas 649 mil versões em linguagem moderna.

veja também