Bíblia ganhará mais de 400 traduções em países asiáticos que sofrem perseguição

A Wycliffe Associates irá traduzir a Bíblia para beneficiar cristãos que não têm acesso às Escrituras, na Ásia.

fonte: Guiame, com informações da Gaceta Cristiana

Atualizado: Quinta-feira, 1 Março de 2018 as 2:46

O grupo cristão irá traduzir a Bíblia para mais de 400 idiomas em 12 países asiáticos. (Foto: Reprodução).
O grupo cristão irá traduzir a Bíblia para mais de 400 idiomas em 12 países asiáticos. (Foto: Reprodução).

Em certas áreas da Ásia, não há traduções da Bíblia devido ao difícil acesso e ao perigo representado por essa missão. Existem muitos países no continente asiático onde a perseguição cristã é implacável e vários grupos nesta região são considerados "difíceis de alcançar" quando se fala em idiomas.

"Não porque são impossíveis de traduzir ou porque não precisam do Evangelho, mas porque as situações de acessibilidade e segurança são tão ruins que era impossível para nós chegar nessas aldeias", diz Bruce da Wycliffe Associates, o grupo cristão que irá traduzir a Bíblia e levar a Palavra de Deus para essas áreas.

Em vista do perigo para que os estrangeiros possam ir a esses lugares, a Wycliffe Associates, em cooperação com vários ministérios cristãos, treinará os mesmos aldeões para o trabalho de tradução. Sabe-se que lá eles podem viajar livremente. Desta forma, o grupo cristão irá traduzir a Bíblia para mais de 400 idiomas em 12 países asiáticos, nos próximos anos.

“Deus está se movendo e temos certeza de que haverá um impacto real em milhares de vidas na Ásia”, diz Bruce. Ele pede oração pelo sucesso do projeto, pela segurança dos tradutores e pela mão de Deus para orientar todo o processo de tradução.

Cristãos secretos

A realidade que assombra os cristãos da Ásia Central é a necessidade de manter sua fé em segredo, o que os torna cristãos secretos. Muitas vezes sem apoio de uma comunidade cristã local ou da Palavra de Deus para que se mantenham firmes enquanto enfrentam a perseguição.

O que leva um novo convertido a não declarar publicamente sua nova fé em países do chamado “mundo muçulmano”? Essa é a realidade vivida por novos convertidos do islamismo para o cristianismo em muitos países do norte da Ásia Central.

veja também