Bíblias e literaturas cristãs são confiscadas no Uzbequistão

Bíblias e literaturas cristãs são confiscadas no Uzbequistão

Atualizado: Segunda-feira, 12 Setembro de 2011 as 9:04

Autoridades do Uzbequistão continuam a pressionar igrejas e grupos religiosos, muitas vezes produzindo provas para punir ou limitar a capacidade dos cristãos na prática de sua fé. Cristãos também estão sendo submetidos a multas excessivas, acusações falsas e confisco de Bíblias e literaturas cristãs. O caso mais recente envolve o pastor  Konstantin Malchikovsky, líder da Igreja Batista em Tashkent, distrito de Hamza. Ele foi indiciado por fraude fiscal.

As acusações alegam que o pastor Malchikovsky deixou de pagar os impostos sobre as ofertas da igreja e as vendas de livros cristãos, entre 2003 e 2010. De acordo com a agência de notícias Fórum 18, um investigador do governo ameaçou os membros da igreja, ao se recusarem a fabricar provas contra o pastor.

Na tentativa de dificultar a liturgia do culto, as autoridades querem que cada igreja tenha uma caixa registradora para emitir recibos das ofertas e dízimos. Malchikovsky enfrentará uma pena de dois anos de prisão, se for condenado. Os documentos apresentados pela defesa do pastor, mostrando imprecisão nas acusações, foram ignorados pelo juiz.

Na primavera passada, policiais invadiram a Igreja Batista de Hamza. Eles confiscaram dinheiro, equipamentos de impressão e uma enorme quantidade de livros. Quatro membros da igreja, incluindo o pastor, foram multados em cerca de 100 salários mínimos.

Em outra investida em julho deste ano, as autoridades confiscaram cerca de 250 livros cristãos, um computador e o passaporte do cristão Anvar Rajapov. Ele recebeu uma multa de 80 salários mínimos. Ele recorreu e também pediu que seu computador fosse devolvido. A apelação foi negada e o computador, destruído.

veja também