Bispo Gê ministra Simpósio de Batalha Espiritual

Bispo Gê ministra Simpósio de Batalha Espiritual

Atualizado: Terça-feira, 1 Setembro de 2009 as 12

Neste sábado, dia 29, a sede regional da igreja Renascer em Pernambuco - Renascer Boa Viagem recebeu a visita do bispo Geraldo Tenuta para ministrar sobre batalha espiritual.

Quando se conhece o inimigo e seu território fica mais fácil estabelecer estratégias e vencer batalhas. E esse foi o foco do Simpósio - mostrar a dimensão da nossa guerra, onde e de que forma ela se trava. No livro de Daniel, no capítulo 10, versículos um ao 14, temos uma ideia do que é uma batalha espiritual.

O bispo Gê começou fazendo a igreja pensar qual a dimensão, qual o tamanho de Deus. É uma pergunta impossível de ser respondida, mas, por meio de dados científicos, slides que mostravam o quão gigantesco e infinito é o universo criado por Ele. Foi percebido o quanto os homens são pequenos em relação à Criação e mesmo assim, a oração move as regiões celestiais e o Senhor demonstra o seu amor.

Entendendo que Deus é sobre todas as coisas, outra indagação foi feita: qual a dimensão dele na nossa guerra? Na segunda carta de Paulo aos Coríntios, capítulo 12, versículo dois, lemos sobre o terceiro céu. Se há um terceiro, logicamente existe um segundo e um primeiro.

Num simples resumo, o terceiro céu é a habitação de Deus, a eternidade; o segundo céu é onde estão os querubins, serafins, arcanjos e anjos mensageiros. Por fim, o primeiro céu engloba as galáxias, o universo, a Terra onde estamos. É o mundo espiritual mesclado com a nossa dimensão física, temporal. É justamente entre o primeiro e o segundo céu que se travam as batalhas espirituais. A partir daí começamos a entender a esfera da nossa guerra, sabendo que a arma do inimigo é o próprio homem, já que Satanás e seus anjos caídos não podem interferir fisicamente no primeiro céu.

Conhecendo o nosso inimigo

Desde que Satanás se rebelou contra Deus e levou consigo um terço dos anjos, ele tenta contaminar o homem e afastá-lo do plano de Deus de salvar o homem e o fazer assentar com Ele no terceiro céu. Para isso, existem os espíritos dominadores, que são demônios que atacam os sentimentos, eles agem, por exemplo, na pornografia, no medo etc. Um grupo de dominadores é chamado de potestade. Existem também os principados, que são entidades que ocupam um determinado setor. Os principados variam com a cultura e englobam veneração, adoração.

Já ao final do Simpósio, imagens mostraram revelações tidas por Daniel, descritas nos capítulos dois e sete e seu contexto histórico desde o principado que agia sobre o Império da Babilônia, passando pelos Impérios de Grécia e Roma, até as entidades que agem hoje no mundo, sendo a maior delas o anticristo.

Foi no Império Grego, por exemplo, em que houve uma super valorização da razão (que é o contrário da fé), que se passaram 400 anos de silêncio profético, pois, diz a Bíblia que não havia ninguém que intercedesse pela queda daquele principado.

No período Romano, o rei Herodes planeja matar os apóstolos e foi o clamor da igreja que liberou o anjo que libertou Pedro de Herodes e este foi morto. É preciso haver um clamor. A oração é o início da vitória numa batalha espiritual.

O Simpósio foi encerrado com um grande mover. Foi denunciado todo dominador que trazia medo, depressão, síndrome do pânico, miséria; principados como a Rainha do Céu que se dedica a destruir os lares etc. Os pastores ungiram as pessoas, houve grande clamor da igreja e muitos foram libertos.

Conhecemos a esfera da nossa guerra, sabemos como guerrear. Maior é o que está em nós do que o que está no mundo e, em Cristo, somos mais que vencedores. Aquela foi uma noite maravilhosa! A Renascer Boa Viagem espera a volta do bispo Gê com a continuação desse Simpósio para que continue a desenvolver a fé e a aprender a exercer a nossa autoridade neste mundo.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também