Boa música e ministrações no Pocket Show de Fernanda Brum e Emerson Pinheiro

Boa música e ministrações no Pocket Show de Fernanda Brum e Emerson Pinheiro

Atualizado: Segunda-feira, 11 Agosto de 2008 as 12

Por Adriana Amorim

Dia 7 de agosto, na sala Mario de Andrade, na Saraiva Mega Store (Shopping Pátio Paulista), em São Paulo, boa música e ministração contemplaram o pocket show de lançamento dos CDs de Fernanda Brum e de Emerson Ribeiro, pela primeira vez juntos em uma apresentação.

Para o músico, pastor e produtor Emerson Pinheiro foi o início de uma nova fase, o álbum "Eu estava Lá" é seu primeiro CD solo, uma idéia que vinha sendo amadurecida.

Para a pastora e cantora Fernanda Brum, seu nono CD não deixa de ser especial. A faixa "Cura-me", que intitula o CD, é na opinião da cantora a música mais especial de sua carreira. Segundo Fernanda, o novo CD tem músicas profundas: "Para eu começar a cantá-lo foi difícil. Eu me emocionava muito, começava a desafinar por causa dessas letras muito fortes. Agora, eu estou mais acostumada com ele, mas de vez em quando eu sinto um nó na garganta".

Logo no início do evento, Emerson Pinheiro falou para o público sobre momentos difíceis, o que chamou de tempestades: "A tempestade só vem por dois motivos, ou para disciplina, no caso de desobediência, ou para crescimento", ministrou o pastor. Na seqüência, cantou acompanhado de muitos que já conheciam a letra, a faixa tema de seu CD, "Eu estava lá".

Os dois CDs abordam temas de sofrimento e restauração. As composições são intimistas, o testemunho pessoal de cada um em canções. "Os dois CDs foram gerados juntos, as canções foram compostas na mesma época, o que Deus fala com um está falando com outro. Ali, a gente dentro de casa começa a receber do Senhor. Sentimos a direção de falar sobre cura", afirmou a cantora. Para o produtor Emerson Pinheiro, "a igreja precisa de cura, a igreja precisa de perdão, a igreja se perdoar, de ter restauração".

Fernanda Brum expôs que o propósito da gravação de seu novo CD é cura interior, o que para a pastora significa lembrar de um momento difícil e não sofrer mais por ele. "Ta lá a cicatriz como sinal de que Deus mexeu ali e curou", esclareceu a pastora. Fernanda Brum contou ao público experiências pessoais: "Eu fui criada para não chorar. E um dia Deus falou que os que choram serão quebrantados". Emerson iniciou no teclado e Fernanda completou com a voz a música "Quebrantado Coração", faixa do CD "Quebrantado Coração".

Durante a noite, o casal transpareceu alegria e comunhão.  Ambos acreditam que a palavra de Deus musicada encontra mais facilidade para tocar as pessoas: "A música é uma grande condutora da palavra e a palavra de Deus não volta vazia, ela cura", apontou Fernanda.

Daniel Oliveira, operador de help desk que assistia ao show, disse que o evento foi "abençoador". Depois da apresentação, ele pediu a Fernanda que autografasse todos os encartes dos nove CDs que tinha da cantora. "O evento foi muito legal, a gente espera não só a Fernanda Brum, mas que mais pessoas do gospel venham para São Paulo... Ver o casal junto foi espetacular. Agora, com o CD novo dele, não só acompanhando na banda, mas cantando também no CD solo. Eles são pessoas de Deus que não vão abençoar só os casais, mas todo mundo", falou ao Guia-me .

Uma das últimas músicas no evento foi "Aborto não!", de Fernda Brum. Composição de letra forte, em ritmo flamenco, inspirada em uma manifestação a favor do aborto na Bahia. Fernanda falou que a composição surgiu não como forma de condenação, mas por um direito de expressão e um apelo à vida.

No final, o público em pé, ergueu as mãos e pulou cantando a música "Eu vou", de Fernanda Brum, que encerrou a apresentação.

veja também