Bombeiro golpista se fazia de voluntário em igreja Batista

Bombeiro golpista se fazia de voluntário em igreja Batista

Atualizado: Segunda-feira, 29 Março de 2010 as 12

Rio - As suspeitas de que um suposto miliciano foragido de Campo Grande estaria vivendo em Copacabana levou agentes da 12ªDP (Hilário de Gouvêa) à captura de um bombeiro reformado que tinha o dom de enganar mulheres. O cabo - e não tenente, como ele se apresentava às moças - Arytanã Tavares de Fontoura, de 38 anos, estava com a prisão decretada por um assalto à mão armada ocorrido no Centro da cidade, em 2001, pelo qual acabou sendo condenado a quatro anos de prisão.

Na tarde de sábado, os policiais fizeram o cerco ao bombeiro e o prenderam na Rua Princesa Isabel. Ele chegava na casa de uma amiga, onde estava dormindo. "Ele ganhava a confiança delas, pedia que fizessem empréstimos bancários, depois sumia. Há pelo menos quatro ocorrências registradas contra ele", diz o delegado Antenor Martins Júnior.

As vítimas eram de pontos diferentes, como Campo Grande, São Gonçalo e Jardim América. Neste último caso, aliás, ele se passou por voluntário de uma igreja batista e conseguiu dinheiro em dois bancos. O golpe ocorreu em 2006.

"Elas me querem, eu pego. Sou pegador. Mas não dou golpe em ninguém. Só uma vez que pedi dinheiro emprestado. Depois, na Justiça, eu paguei", defendeu-se Arytanã.

O bombeiro, que apesar do histórico não foi expulso da corporação, disse ser perseguido por milicianos de Campo Grande. Com ele havia uma carta com nomes de possíveis suspeitos caso ele fosse morto.

Por Leslie Leitão

veja também