Britânicos acreditam que cristão devem ser livres para seguir sua fé

Britânicos acreditam que cristão devem ser livres para seguir sua fé

Atualizado: Terça-feira, 21 Dezembro de 2010 as 8:49

 Uma pesquisa revelou que a maioria dos britânicos acreditam que os cristãos deveriam ser livres para seguir a sua consciência de fé no trabalho sem medo de medidas disciplinares.

A votação de 1.000 adultos, mostrou que 72 por cento dos britânicos acreditam que os cristãos devem ter a liberdade de consciência no trabalho.A pesquisa também revelou que 73 por cento da população adulta acredita que o direito de usar um símbolo cristão nos locais de trabalho devem ser protegidas por lei.

Orar

Quase 90% dos entrevistados acreditam ser errado que trabalhadores da área da saúde sejam púnidos por se oferecer para orar por paciêntes.

Nos últimos anos, um grande número de cristãos sofreram por defender sua fé no trabalho.

No início desta semana os donos de uma pousada cristã, estão sendo processados por causa de sua política de restrição, pois não aceitam em suas acomodações casais que não são legalmente casados.

Discriminatória

Pedro e Hazelmary Bull estão sendo processados por um casal homossexual que afirmam que a política é discriminatória. A pousada também é a residência do casal Bull.

A escrivã cristã, Lillian Ladele, foi disciplinada pelo Conselho de Islington por causa de sua posição contra parcerias civil de mesmo sexo.

Caroline Petrie, uma enfermeira cristã que se ofereceu para orar por uma paciente, teve o pagamento suspenso. Ela foi posteriormente teve seu pagamento restabelecido.

Disciplinada

E a mãe Jennie Cain foi disciplinada por enviar um e-mail oração. Os advogados que representam a Sra. Caim apresentaram documentos alegando que ela sofreu discriminação religiosa, assédio e retaliação.

A pesquisa foi encomendada pelo grupo ativista Christian Concern.

Andrea Minichiello Williams, diretora do grupo, disse: “Esta pesquisa indica que a recente legislação e da forma que foi interpretada nos tribunais está seriamente fora de sintonia com a opinião pública.

Consciência

“A grande maioria dos adultos britânicos apoiam o princípio geral de que os cristãos devem ser livres para manifestar sua fé e exercer a sua consciência no local de trabalho sem medo de punição.

“Muitas vezes no debate nacional que ouvimos muito a partir de uma pequena minoria, com vista para o extremo, que gostaria de ver o tecido cristão da nossa nação destruída. Esta pesquisa sugere que a sua voz não é representativa da grande maioria do público britânico “.

No início deste ano sete bispos anglicanos, incluindo ex-arcebispo de Canterbury Lord Carey, escreveu para um jornal nacional dizendo que as crenças cristãs sobre a consciência do casamento, e a adoração estão sendo ignorados pelas leis do Reino Unido.

Em Dezembro último, do Instituto Cristão publicou um relatório chamado de “cristãos Marginalising”, que catalogou inúmeros casos de cristãos sendo marginalizado por organismos públicos, meios de comunicação popular e pelos empregadores.

Traduzido por: Portal Padom

The Christian Institute / Portal Padom

veja também