Campanha de Dilma ajudou mais Crivella que Mercadante

Campanha de Dilma ajudou mais Crivella que Mercadante

Atualizado: Quarta-feira, 3 Novembro de 2010 as 9:33

Crivella é sobrinho de Edir Macedo, dono da TV Record, emissora a qual Dilma concedeu a primeira entrevista ao vivo, após a divulgação do resultado da eleição.

A campanha da presidente eleita Dilma Rousseff (PT) ajudou mais Marcelo Crivella (PRB), senador reeleito pelo Rio de Janeiro, do que Aloizio Mercadante (PT), que disputou o governo de São Paulo. Segundo números divulgados no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a campanha da petista desembolsou o equivalente a R$ 169,125 mil para as candidaturas dos dois, dos quais R$ 92,5 mil (54,7% do total) ficaram com Crivella.

As contribuições para Mercadante e Crivella aparecem na categoria "estimado", o que significa que vieram na forma de bens e serviços prestados - como locação de automóveis e pagamento de gasolina -, explica o TSE. Por enquanto, só foram informados os valores, sem detalhamento das ações realizadas. As doações feitas no segundo turno ainda não foram divulgadas.

A campanha de Dilma contribuiu com R$ 76,625 mil para Mercadante, do total de R$ 20,23 milhões em receita da campanha do PT ao Palácio dos Bandeirantes. Segundo a prestação de contas, foram feitos três repasses, nos dias 22, 27 e 29 de setembro.

A assessoria de imprensa do petista informou ao Estado que o valor corresponde ao gasto com material - panfletos, placas e adesivos - que estampavam tanto o nome de Dilma quanto de Mercadante. Ele obteve 35,23% dos votos, sendo derrotado por Geraldo Alckmin (PSDB) já no primeiro turno.

A campanha da presidente eleita foi mais generosa com o senador Crivella, que recebeu doação estimada de R$ 92,5 mil, datada de 22 de agosto. Uma das principais lideranças entre evangélicos, Crivella é sobrinho do bispo Edir Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus e dono da TV Record. À emissora, Dilma concedeu a primeira entrevista ao vivo, após a divulgação do resultado de domingo.

O senador foi incorporado à comitiva de campanha de Dilma no Rio de Janeiro, mesmo não estando na coligação que reelegeu o governador Sérgio Cabral (PMDB). No segundo turno, prometeu empenhar-se para apagar o incêndio provocado por controvérsias religiosas, como a questão do aborto.

A prestação de Crivella mostra que ele arrecadou R$ 2,65 milhões - R$ 59,5 mil doados por ele mesmo.

À Justiça Eleitoral, Dilma Rousseff declarou patrimônio de R$ 1.066.347,47. Dilma possui três apartamentos, uma casa, R$ 113,3 mil em dinheiro em espécie e R$ 52,5 mil em "joias adquiridas", o que inclui também quadros e objetos de arte.

veja também