Candidato a prefeitura critica Celso Russomanno

"Igreja não pode ser batalhão eleitoral" afirma Chalita

Atualizado: Quinta-feira, 13 Setembro de 2012 as 8:04

Gabriel Chalita, candidado a prefeitura de SP pelo PMDB, criticou firmemente seu concorrente Celso Russumanno pelo apoio que o candidato vem recebendo das igrejas evangélicas.

Na última sexta-feira, durante um culto, o pastor Marcos Galdino, do ministério Santo Amaro da igreja Assembleia de Deus, pediu votos explicitamente a Russomanno. Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, o candidato tem recebido também apoio de um comitê informal para cabos eleitorais de um templo da Igreja Universal.

Chalita, que também não esconde sua religiosidade, afirma que a igreja não pode ser colocada em uma disputa como um "batalhão eleitoral". Para ele, Celso Russomanno tem ligação com a Igreja Universal e possui um exército da denominação trabalhando para ele.


“Acho que ele deveria falar a verdade. Se é verdade o quer os jornais publicaram, de fato ele tem um exército da Universal trabalhando pra ele. Deveria dizer: 'olha, eu realmente sou candidato da Igreja Universal e tenho um exército de gente trabalhando pra mim'”.

Para Chalita, a acusação de que o pastor teria pedido votos a Russomanno deve ser investigada, porque vai contra as leis eleitorais. Além disso, ele diz que é "ruim para a democracia".

Chalita afirmou que também é religioso, mas que não usa suas visitas a igrejas para pedir votos. O candidato marcou presença ao lado de Padre Marcelo no último fim de semana.


"Eu também visitei igrejas e nunca escondi que sou religioso, mas nunca transformei nenhuma visita minha em pessoas com metas de fazer voto. Estive no Padre Marcelo e não pedi voto. Na outra semana participarei de mais um evento, em que todos os candidatos foram convidados. É melhor do que ser candidato de uma igreja específica e essa igreja ter uma meta para eleger o prefeito de são Paulo", criticou.

veja também