Carreata marca comemorações do Centenário da AD

Carreata marca comemorações do Centenário da AD

Atualizado: Quarta-feira, 15 Junho de 2011 as 3:40

O maior movimento pentecostal do mundo está em festa. A Assembleia de Deus comemora 100 anos no dia 18 de junho de 2011, com uma vasta programação que tem início nesta quinta-feira (16). Nascida em Belém do Pará, cidade com tradição religiosa, a Igreja congrega atualmente 10 milhões de pessoas no Brasil, 36 milhões no mundo e está presente em 176 países. Somente no Pará existem 4.500 templos.

Durante as comemorações do Centenário, a capital paraense receberá diversos presentes. No dia 16 de junho, às 8h, será inaugurado o Museu Nacional da Assembleia de Deus, que contará com um rico acervo literário, peças sacras, fotografias, instrumentos de trabalho e objetos pessoais das personalidades que participaram da construção dessa memória. O prédio foi totalmente restaurado e a fachada é uma réplica da casa da irmã Celina Albuquerque, na Cidade Velha, onde aconteceram as primeiras reuniões dos fundadores da Igreja, Gunnar Vingren e Daniel Berg.

Em seguida, às 9h, será inaugurada oficialmente a Avenida Centenário, trecho que liga a Avenida Júlio César à Avenida Augusto Montenegro. A cerimônia de homologação foi realizada pelo prefeito Duciomar Costa, no dia 17 de maio de 2011. Já o Centenário Centro de Convenções, maior obra ligada aos 100 anos da Igreja, abre as portas às 10h, do mesmo dia 16. E à noite, às 19h, será realizada a primeira grande concentração no Estádio do Mangueirão, que terá shows e cultos especiais.

Com 13 mil metros quadrados de área climatizada e área de estacionamento, com capacidade para mais de 400 carros, o Centenário Centro de Convenções foi construído com recursos próprios e materiais de primeira qualidade, para garantir o conforto e a segurança dos visitantes. O espaço servirá para diversos eventos de cunhos evangélicos ou não, como shows, cultos, feiras, congressos, o que significa geração de recursos para o Estado do Pará.

Na sexta-feira (17), às 8h, o Centenário Centro de Convenções recebe o Impacto Pentecostal. O evento reforçará a onda de avivamento que se tornou a Igreja em todo o mundo. À noite, novamente, os fieis se reunirão no Estádio do Mangueirão, para louvar a Deus por meio dos cultos e das apresentações musicais.   Carreata - No sábado (18), a Carreata do Centenário reunirá mais de 200 mil pessoas, inclusive de outras religiões. A concentração será a partir das 8h, na Escadinha do Cais do Porto, ao lado da Estação das Docas, região portuária da capital paraense. Antes da saída dos veículos e trio elétrico, haverá uma encenação teatral que reproduzirá o desembarque dos fundadores da Assembleia de Deus, em Belém. No Mangueirão, a partir das 19h, será realizada a última noite de cultos e shows, com emoção especial já que é no dia 18 de junho que se completam os exatos 100 anos de fundação da Igreja. Para o dia 19, está programado o Batismo do Centenário, na praia Grande, em Outeiro. São aguardadas cerca de cinco mil pessoas, a serem batizadas na Assembleia de Deus.

  Números - A organização do Centenário espera um público de 500 mil pessoas nos três dias de eventos, de 16 a 18 de junho, parte delas virá de municípios paraenses, de outros estados brasileiros e de vários países. Para recebê-las, a comunidade cristã evangélica da Assembleia de Deus está abrindo as portas de suas residências. A expectativa é que sejam disponibilizadas, fora da rede hoteleira de Belém, mais de 30 mil vagas em domicílios, sítios, chácaras e acampamentos.

  Apesar de ser uma comemoração evangélica, o Centenário da Assembleia de Deus faz parte da história do Pará e desperta a curiosidade de pessoas de outras religiões que serão acolhidas pelos braços abertos. “O povo paraense é muito crédulo. Nós temos em Belém uma força católica imensa e a maior força evangélica pentecostal do mundo. Isso não existe em outro lugar. Então, todos serão muito bem-vindos e podem esperar a grande receptividade dos evangélicos, que deixarão as quatro paredes dos seus templos para externarem o amor que têm por Belém e pelo próximo, independentemente de religião”, garante o pastor Samuel, presidente da Assembleia de Deus em Belém.

  História – No início do século XX, os suecos Daniel Berg e Gunnar Vingren, receberam, em profecia, a ordem de que tinham que pregar o evangelho num lugar chamado Pará. Ao pesquisarem num mapa, descobriram que era um local distante, localizado na Amazônia. Sem dinheiro e sem entenderem o idioma português, partiram de Nova York rumo à capital paraense. Eles desembarcaram em Belém, no ano de 1910. Aqui pregaram a mensagem pentecostal e levaram vários irmãos a uma experiência marcante com o Espírito Santo. Foi nessa época que conheceram o casal Henrique e Celina Albuquerque, os quais cederam sua casa para as reuniões pentecostais.

Depois de muitos encontros, finalmente, no dia 18 de junho de 1911, os dois suecos fundaram em Belém a Missão da Fé Apostólica, que sete anos depois foi registrada como Igreja Assembleia de Deus. “Eu diria que ninguém que planejasse algo tão grande escolheria uma cidade tão pequena e tão escondida da Amazônia, a não ser Deus. Isso demonstra o quanto essa cidade é amada por Deus e deve ser amada por todos nós”, afirma o pastor Samuel Câmara.

Segundo dados do último Censo, divulgado pelo Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 26,1 milhões de pessoas que residem no Brasil são evangélicas. Esse número, conforme informações da Missão Internacional Servindo aos Pastores e Líderes (SEPAL), saltou para 36 milhões até o final do ano passado e, em 2011, chegará a 57,4 milhões. No Pará, existem atualmente 700 mil membros e congregados, 1.500 pastores e 4.500 templos, sendo mil somente na Região Metropolitana de Belém.  

veja também