Casal é multado na Califórnia por promover estudo bíblico em casa

Casal é multado na Califórnia por promover estudo bíblico em casa

Atualizado: Quinta-feira, 22 Setembro de 2011 as 12:59

Na Califórnia, casal foi multado na cidade de San Juan Capistrano por realizar estudos bíblicos e cultos em sua casa. Eles temem o futuro da liberdade religiosa nos Estados Unidos.

Chuck e Stephanie Fromm, os moradores de San Juan Capistrano, que abriga a mais antiga igreja na Califórnia, foram multados em US$ 300 por realizar “atividades religiosas”, o que a cidade disse  ter violado um código municipal que proíbe organizações "religiosas, fraternal ou sem fins lucrativos em bairros residenciais sem uma autorização condicional de uso”.

Chuck Fromm é editor da revista Worship Leader, um veículo cristão de música que combina sabedoria bíblica e melhores práticas para o culto e fornece recursos educacionais através da sua associada, descreve seu website. Ele explica que, apesar desse vínculo,  suas reuniões semanais não são afiliadas a nenhuma igreja, nem buscam estabelecer uma.

"Como eles ousam dizer-nos que não podemos ter o que queremos em nossa casa", questiona Stephanie Fromm. "Queremos ser capazes de usar a nossa casa. Pagamos e investimos muito nela para termos liberdade para usá-la, sermos hospitaleiros..."

O código municipal é "reativo", o que significa que só é aplicado se alguém reclamar.

"Você pode imaginar que qualquer pessoa, em qualquer bairro, pode ligar alegando isso e fazer um inferno vivo à outra pessoa?" disse Fromm. "Isso está errado... e é triste."

De acordo com o Instituo de Justiça do Pacífico, um grupo legal sem fins lucrativos que trabalha em nome dos Fromms, não havia nenhum barulho além da conversa normal e música calma no sistema estéreo doméstico.

"A imposição de precisar de uma licença para fazer um estudo bíblico em casa é ultrajante", disse Brad Dacus, presidente do Instituto, em um comunicado.

"Em uma cidade tão rica em história e tradição cristã e isto é particularmente notório. Uma reunião informal em um lar não pode ser tratado com essa desconfiança pelo governo. Ser tratado como se fosse pior do que qualquer outro encontro de amigos, só porque é religioso. Não podemos permitir que isso aconteça nos Estados Unidos, e vamos lutar o quanto for necessário para restaurar a liberdade religiosa deste grupo", completa.

veja também