Casos de trabalho escravo aumentam nas regiões mais ricas do país

Casos de trabalho escravo aumentam nas regiões mais ricas do país

Atualizado: Sexta-feira, 10 Setembro de 2010 as 2:41

Em todos os Estados das regiões mais ricas do Brasil – Sudeste e Sul – aumentou o número de ocorrências de trabalho escravo, passando de 13, no primeiro semestre de 2009, para 16 no mesmo período de 2010. Os dados, parciais, foram divulgados na semana passada pela Comissão Pastoral da Terra (CPT).

O organismo vinculado à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) constatou, nesse primeiro semestre do ano, aumento de conflitos pela água e aumento no conflito pela terra no Nordeste, onde foram registrados 54% dos casos brasileiros.

O número de conflitos por terra no Nordeste passou de 158, em 2009, para 194 em 2010. As ocupações também cresceram no período, de 57 para 65, mas reduziu o número de acampamentos, de seis para três apenas.

Nas demais regiões brasileiras os conflitos por terra, ocupações e acampamentos sofreram redução no primeiro semestre de 2010, comparado a igual período do ano passado. Foram 365 ocorrências de conflitos em 2010, envolvendo 33,4 mil famílias, contra 547 ocorrências em 2009, envolvendo 47,7 mil famílias.

Mas aumentaram os despejos na região Centro-Oeste, passando de quatro ocorrência em 2009 para cinco em 2010, o que representa um acréscimo de 25%, índice que sobe para 33% no Sudeste e mais de 120% no Sul, onde as ocorrência subiram de cinco, no ano passado, para 11 neste ano.

De janeiro a julho de 2009 foram registrados 29 conflitos pela água, envolvendo 25,2 mil famílias, 32% a mais a igual período de 2009, quando foram registrados 22 conflitos, envolvendo 20,4 mil famílias. Dos 29 conflitos, 38% estão relacionados com a construção de barragens em 14 Estados da Federação.

veja também