Celebrando a Esperança no Maracanãzinho

Celebrando a Esperança no Maracanãzinho

Atualizado: Quarta-feira, 3 Novembro de 2010 as 3:01

As filas de pessoas que dobravam as esquinas do Maracanãzinho na sexta-feira à noite, bem como na manhã e tarde de sábado, chamavam a atenção de quem passava pelas redondezas. Jogo? Não! Nos dias 17 e 18 de setembro, aquele ginásio recebeu pessoas que tinham muito mais motivos para comemorar – no Dia do Jovem Adventista, elas estavam Celebrando a Esperança!

Passar pelos portões do ginásio era possível somente com a apresentação do ingresso, que anteriormente havia sido trocado nas igrejas por três quilos de alimentos. Mais de 35 mil ingressos foram trocados por cerca de cem toneladas de alimentos, que, em parceria com a Secretaria de Ação Social do Estado do Rio, vão ser usados para amenizar a fome de muitas famílias carentes.

Mais de 80 ingressos foram adquiridos por pessoas que viajaram cerca de 1,6 mil quilômetros para chegar ao Rio. A caravana animada, vinda de Goiás, trouxe 42 membros do Clube de Jovens Heróis da Fé, que souberam do evento dois meses antes e não mediram esforços para participar da programação. “Depois de nossa ida ao Maracanãzinho, percebemos que os jovens estão mais dispostos a atuar na Igreja, a aceitar maiores desafios e a fazer um Ministério Jovem vibrante, que faça a diferença nessa geração”, concluiu Alan Merigui, pastor que trouxe o grupo.

A Celebração Das primeiras filas, Leonardo Pombo assistia a programação com sua esposa e os dois filhos. Ouvindo as mensagens musicais e as palestras apresentadas pelos pastores Fernando Iglesias e Erton Kohler, passavam em sua mente as lembranças de quando entrou naquele ginásio para participar do Projeto Sol, realizado em 1994. Na época, Leonardo tinha 19 anos, era solteiro, e assistiu a programação com os membros da igreja de Parque Caçula, onde havia sido batizado há menos de um ano. “Recordo que fui em quase todas as noites e ficava sentado nas fileiras bem do alto. Aquele evento fortaleceu várias decisões pessoais que eu já havia tomado, e também fui inspirado ao ver que inúmeras outras pessoas também tomavam decisões por causa dos apelos do pastor Bullón. Creio que eventos como esse cooperam para fortalecer a fé dos que aceitaram a Cristo, para reaproximar os que estão longe e para levar outros aos pés de Jesus”.

Quarteto Arautos do Rei, Novo Tom, Coral do Ipae, Coral Jovem do Rio, Leonardo Gonçalves, Rafaela Pinho, Ana Caram e Wintley Phipps louvaram a Deus e encantaram o público. “Gostei muito da programação, especialmente das músicas que ouvi. Esse evento foi uma boa oportunidade para a gente conhecer melhor a Igreja e também fazer amigos”, vibrou o juvenil Gustavo Rodrigues, de 14 anos. A mensagem de sexta-feira à noite, apresentada por Fernando Iglesias, a do sábado de manhã, apresentada por Luiz Gonçalves, e a do sábado à tarde, apresentada por Erton Kohler, ambas instigaram o público a querer ficar mais perto de Jesus e a apressar a Sua volta.

Os apelos para uma decisão ao lado de Cristo foram reforçados pela jovem Fernanda Lima, que deu testemunho da misericórdia e fidelidade divina e emocionou os presentes. Aos 18 anos de idade, Fernanda foi vítima do acidente que, em 1998, vitimou 14 jovens na Serra da Mantiqueira após o veículo que transportava os 54 fiéis que voltavam de um congresso em Campos do Jordão, SP, ter perdido os freios e capotado. Descrevendo a apatia espiritual que vivia antes do acidente que a deixou com uma lesão medular e condenada a viver sobre uma cadeira de rodas, Fernanda disse: “Quando por negligência ou preguiça deixamos Deus de lado, outras coisas tomam o lugar dEle, e isso aconteceu comigo”. Um ano após o acidente, a jovem foi convidada a nadar. Seu desempenho na piscina conferiu a ela inúmeras medalhas de ouro, bem como a oportunidade de disputar campeonatos paraolímpicos e a convocação para a Seleção Brasileira. Fernanda foi fiel a Deus e nunca participou de uma competição aos sábados, dia em que as provas mais ocorriam. Como recompensa, por causa de sua coragem e determinação, chegaram a elaborar um calendário de competições “para adventistas”, com programações que concordavam com a fé da jovem. “Deus honra aqueles que O honram. Vale a pena servir a Deus”, Fernanda concluiu, arrancado aplausos e lágrimas da multidão.

Esperança que se transmite No sabado de manhã, com outros nove juvenis, Danielly Roberta Domingues de Carvalho, de 12 anos, entrou num tanque batismal, diante de mais de 12 mil pessoas, para testificar seu amor por Jesus. A juvenil, que frequenta a igreja de Rialma, em Goiás, há tempos, acompanha sua mãe nas atividades da igreja, mas não se decidia por Cristo por causa de influências que recebia de amigos na escola. As orações de Leide de Carvalho, mãe de Danielly, começaram a ser respondidas quando a juvenil conheceu outros jovens em uma campanha de colportagem e percebeu que eles eram extremamente felizes servindo a Deus. Ali, ela começou a receber estudos bíblicos de uma colportora, e posteriormente começou a participar do Clube de Jovens Heróis da Fé. No Maracanãzinho, depois de ouvir  a mensagem do pastor Iglesias e também o testemunho da jovem Fernanda, Danielly foi impressionada pelo Espírito Santo, decidiu pelo batismo, e em um acerto rápido, sem que sua mãe soubesse de nada, pode entrar em um dos seis tanques batismais, onde foi batizada por Ivay Araújo, diretor de jovens da União Este Brasileira, UEB. Com a surpresa, Danielly atendeu as insistentes orações da mãe. “O projeto realizado no Maracanãzinho foi uma excelente oportunidade que os jovens tiveram para confirmar sua fé, fortalecer seus princípios e renovar sua esperança. Em um evento como este, o jovem percebe que ele não está sozinho. Ele tem uma família, uma grande família!”, Ivay comentou.

De longe, nos bastidores, Denise Gomes assistiu aos batismos da manhã e da tarde de sábado. Denise, que trabalha na equipe de faxina do Maracanãzinho há 16 anos, observava a circulação do público atentamente. O tempo todo ela ouvia a programação e, as vezes, por uma fresta, também assistia uma apresentação ou  outra. Ao ouvir o anúncio do batismo, a curiosidade de Denise foi despertada, o que a levou até um local onde pode acompanhar passo a passo as cerimônias. “Essa gente é diferente. Gostei muito do que assisti. Adorei o batismo. Foi muito bonito, e eu assisti tudo”, ela comentou no final da programação, já com um livro “Tempo de Esperança” nas mãos e revistas missionárias para dar aos outros de sua equipe. Como Denise, Rosângela Maria dos Santos, uma enfermeira do posto médico do Maracanãzinho, deu uma “escapada” do serviço para assistir a programação. “Ela ficou encantada com o que viu e parou a primeira pessoa que encontrou e disse: ‘A cada semana, eu vejo toda espécie de eventos aqui, desde jogos, a shows de rock e shows evangélicos, mas nada se compara ao que vi aqui hoje. Que coisa linda! Essas musicas, essa ordem de vocês! Como vocês se comportam bem, são organizados! Não há confusão, nem gritaria. Vocês são alegres, participam do louvor e parece que são muito felizes!’. Então, Rosangela perguntou: ‘Onde fica a igreja de vocês? Quero visitá-los’”, conta Edson Romero, um dos organizadores do evento. Rosângela e Denise vão ser alvos dos projetos missionários que foram lançados no Maracanãzinho para o ano que vem.  Em 2011, a cidade do Rio, que tem 6.236.567 habitantes e apenas 17.236 adventistas, vai receber Calebes, que vão penetrar lugares inalcançados da Cidade Maravilhosa, como fizeram William e Florence Thurston em 1893. Como alavanca para o evangelismo, um milhão de livros missionários “Ainda Existe Esperança” vão ser distribuídos em todo o Estado fluminense.

“Quantas pessoas que ainda não conhecem a nossa mensagem vão poder conhecê-la através desse livro?”, Maurício Lima, presidente da UEB, desafiou o público. O desafio foi reforçado por Erton Kohler, que nos últimos momentos, depois de levar a platéia a imaginar e desejar a Volta de Jesus, apelou: “Se você ama a volta de Cristo, levante-se e pregue. Mateus 24:14 vai se cumprir na vida de um povo que ama a Volta de Cristo, que pôs a Volta de Cristo no seu nome. Esse é o povo que vai se levantar para cumprir Mateus 24:14. Esse é um desafio para você. É um desafio para a sua igreja. É um desafio para a sua decisão pessoal. Quem crê na Volta de Cristo, prega a Volta de Cristo. Quem ama a Volta de Cristo, prega a Volta de Cristo. Quem faz parte de um povo que tem a Volta de Cristo no seu nome, prega a Volta de Cristo”.

veja também