Cerca de 30 pessoas se reconciliaram com Deus após tiroteio em igreja do Texas

A informação foi confirmada pelo pastor da igreja, Frank Pomeroy, que apontou este fato como um motivo de esperança, após a tragédia.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Sexta-feira, 24 Novembro de 2017 as 10:14

População se reúne em vigília após atirador ter matado 26 pessoas em igreja do Texas. (Foto: scmp.com)
População se reúne em vigília após atirador ter matado 26 pessoas em igreja do Texas. (Foto: scmp.com)

O pastor da igreja no Texas que foi atacada com o pior tiroteio em massa na história do estado no início de novembro admitiu que feriados como o Dia de Ação de Graças e o Natal são difíceis de lidar agora, mas afirmou que ele continua a confiar em Jesus Cristo para a restauração da comunidade cristã.

"É difícil lidar agora", disse o pastor da Primeira Igreja Batista de Sutherland Springs, Frank Pomeroy, à NBC News, em uma entrevista comovente na última quarta-feira (23).

O pastor falou sobre a filha que ele perdeu no tiroteio e afirmou que acredita estar realizando o que seria o desejo dela, se estivesse viva.

"Mas eu sei que Annabelle ainda iria querer aquela música de Natal. Ela gostaria que as férias prosseguissem - era a sua época preferida do ano", contou.

Pomeroy perdeu sua filha de 14 anos, Annabelle, além de outros 25 amigos, fiéis da igreja, que morreram no início deste mês, quando o atirador Devin Kelley invadiu a igreja e abriu fogo contra as pessoas.

O pastor revelou que conhecia Kelley, mas não suspeitava que ele fosse capaz de tal ato.

"Para ser bastante honesto, nunca pensei que ele teria a coragem de tentar fazer algo assim", disse Pomeroy. "Ele não era alguém em quem eu confiasse muito como ser humano. Ele era apenas uma pessoa muito rancorosa".

Os oficiais anteriormente descartaram que questões de raça ou religião tenham motivado o tiroteio e sugeriram que Kelley tivesse desavenças com os membros de sua própria família, que frequentavam a igreja.

Pomeroy compartilhou suas esperanças de que nenhum outro pastor "tenha que passar pelo processo de 26 funerais em uma semana".

"Isso torna as coisas mais difíceis, no entanto, também torna ainda mais unida a igreja e a comunidade em redor dela", ressaltou.

Quanto ao Dia de Ação de Graças, o pregador admitiu que é um momento desafiador.

"Isso vai ser difícil? Sim, mas você sabe de uma coisa? Eu estou comemorando este grande país com o qual Deus nos abençoou no Dia de Ação de Graças, e também comemorando o nascimento do nosso salvador no Natal", ele refletiu.

Um resultado positivo que Pomeory apontou após a tragédia é que cerca de 30 pessoas chegaram a ele para dizer que eles se reconciliaram com Deus.

"Antes disso, eu estava lutando estaa batalha com o melhor das minhas habilidades", disse ele.

"Mas ainda mais agora, eu sei que há mais 26 mártires que deram a vida por essa batalha e que o Senhor me deixou aqui. Sinto que isso significa que Ele queria que eu continuasse essa luta por Ele e também em seus nomes", acrescentou.

Uma semana após o massacre em massa, Pomeory pregou uma mensagem de perdão à sua congregação.

"Eu conheci todos os que deram suas vidas naquele dia. Alguns deles eram meus melhores amigos e minha filha", disse Pomeroy durante o culto. "Não tenho dúvidas de que todos estão dançando com Jesus hoje".

Amigos próximos de algumas das vítimas revelaram histórias heróicas de sacrifícios no dia do tiroteio.

Um exemplo foi o de Joann Ward, que acabou morrendo para proteger seus quatro filhos e conseguiu salvar dois deles.

"É o que você ouve, às vezes, os pais dizerem, mas você nunca pensa que eles terão que fazer isso. Ela disse: 'Eu morreria por meus filhos'. E ela acabou tendo que realmente fazer isso, no final", disse Vonda Smith, amiga de Joann. "Ela os amava assim. E ela deu a própria vida por eles em última instância".

veja também