China aperta liberdade de expressão dos estrangeiros

China aperta liberdade de expressão dos estrangeiros

Atualizado: Terça-feira, 5 Agosto de 2008 as 12

O Comitê Olímpico Chinês divulgou uma lista de proibições impostas pelo governo da China aos estrangeiros que visitarem o país durante os Jogos Olímpicos, que começam no dia 8 de agosto.

O documento de nove páginas colocado on-line pelo Comitê Organizador dos Jogos de Pequim – intitulado "Guia da lei chinesa para os estrangeiros que virão durante a Olimpíada", apresenta em 57 tópicos todos os comportamentos considerados impróprios pelo regime comunista.

Entre as proibições estão: dormir na rua, participar de manifestações públicas, vestir roupa ou acessórios com slogans políticos ou religiosos, queimar ou rasgar a bandeira chinesa, visitar algumas regiões da China, como o Tibete, que foi considerado pelo governo chinês "fora dos limites", especialmente para os jornalistas.

Desta forma, a China procura minimizar o impacto das manifestações pró-Tibete que, inevitavelmente, irão ocorrer durante agosto em Pequim.

Entraves e burocracia

Nos últimos meses, o Ministério dos Negócios Estrangeiros da China tem criado vários entraves à emissão de autorizações de entrada ou permanência a cidadãos estrangeiros.

Todos os visitantes que ficarem na casa de residentes chineses em zonas urbanas têm que se apresentar às autoridades 24 horas depois da sua chegada. E, no caso de ficarem em áreas rurais, 72 horas. Ainda assim, o governo chinês espera a chegada de 500 mil pessoas até dia 28 – data do final dos Jogos Olímpicos.

O lema dos Jogos Olímpicos para 2008 é "Um mundo, um sonho".

veja também